segunda-feira, 29 de agosto de 2011

“Princeza”

É um valente erro de português, ao género “private joke”, que se instalou entre nós logo no início da relação. E é só essa a justificação para que adore que o meu número esteja gravado no telefone dele com o nome “Princeza”, assim como o nome dele está apenas como “Amorudo” no meu telemóvel.E faço questão que assim se mantenha por muitos, longos e felizes anos. Serei, para sempre, a tua Princeza, meu Amorudo!

Mas estava capaz de enumerar aqui uma lista de tratamentos foleiros e “galanteios azeiteirolas” que já ouvi por essa “vida afora”:

  • Tive uma vez um fã que me tratava insistentemente por “doçura”… coisa que quase me deixava diabética, tal era o enjoo!
  • Alguns machões lá da “vila” onde moro, teimam em tratar a namorada/mulher por “a minha Maria” ou, pior, “a minha Patroa”… e o cúmulo da “azeiterice” é quando eles dizem apenas “a minha” (tipo, “a minha diz que não quer ir”, ou “vou-me embora, que tenho de ir ter com a minha”). Lindo.
  • Outros há que chamam as namoradas por “fofinha”. Que coisa tão horrível. Imagino-me numa loja, com o meu marido ao lado, e ele a dizer “Oh Fofinha, leva esse que te fica tão bem”! Acho que desmaiava de vergonha nesse momento.
Claro que gosto de ser tratada carinhosamente. Se ele me chama de Teresa, até me soa mal. Pode chamar-me “Amoruda” ou “Amorida” (em variações ao tal tratamento de eleição, que começou por brincadeira e foi ficando), pode chamar-me apenas “Amor”. Mas jamais Princesa, Meu Anjo, Fofura, Maria, Patroa e afins!

E para rematar nas declarações de amor em tom de foleirada… canta o BOSS AC: “Princesa”… “lábios de fada”, “tu não andas, tu deslizas” e mais um monte de piropos à D. Ruan do Barreiro! (desculpem-me os fãs (e os do Barreiro), mas…)


4 comentários:

Taty TumTum disse...

To aprendendo as palavras de Portugal aqui...heheheh.. e aproveitando para conhecer coisas novas. Meu marido disse que adora fado ( é assim chama?) manda uma sugestão pra nós. Vi que passou pelo meu blog, e que tb gosta de Frenéticas, muito massa. Concordo com vc em relação aquela versão da Opera do Malandro. Colocar as músicas de Chico com a interpretação irreverente delas ficou perfeito. bj e boa semana pra ti!

Alix disse...

arghh, também detesto essas maneiras "fofas" de chamarem o/a parceiro/a. por aqui oiço muito: " a minha", " a patroa" e "a minha Maria"! fica tãooo mal.

bjs*

XL disse...

Estou triste, desfez-se um mito...

Quero acreditar que minha Mrs. XS não acha foleiros os nomes carinhosos por que a trato...

P.S: Teresa, passa no meu Blog tens lá uma mensagem para ti no ultimo comentário que fizes-te.

Teresa disse...

XL,
Aposto que não acha! Se o meu "Amorido" me chamasse um deles, até a mim me passava! Basta estar apaixonado! eehehehehehe (mas ainda bem que ele só me chama "Amorida", ufa!)
:-)