quinta-feira, 11 de agosto de 2011

No feicebuque....

Eu tenho a alcunha de “Professorinha” porque sou implacável quando vejo erros ortográficos. 

É que, se há uma coisa que detesto, é gente que não escreve como deve ser. E já nem me refiro a erros em palavras difíceis, e muito menos aos comuns erros typo em que, com as pressas, baralhamos inadvertidamente os caracteres vizinhos de teclado e colocamos um “e” onde deveria estar um “r”, ou um “m” em vez do “n”.  E também não estou a considerar as modernices dos que escrevem “Kero”, “gostu” ou “krida”.

Hoje quero apenas comentar convosco a quantidade de "calinadas" que as pessoas dão em palavras correntes, e que exibem orgulhosamente para o mundo ver, sem terem sequer noção da sua burrice! 

Ahhh pois é! Há dias, como hoje, em que entrar no facebook pode revelar-se uma ser uma verdadeira prova à minha “capacidade de encaixe”. Vejo e leio as coisas mais inacreditáveis!

Nem calculam a vontade que tenho de fazer uma compilação, ao estilo “apanhados linguísticos”, com os erros de alguns dos meus amigos do facebook. E depois publicava-a por lá mesmo, com a respectiva foto do autor!.... :-)…. Mas é capaz de não ser boa ideia!... É que suspeito que, em menos de nada, passaria a ser conhecida por “mete nojo” lá para as minhas bandas (é que só tenho no facebook pessoas que conheço mesmo, e sei que muitas delas eram capazes de levar a mal!)

No entanto, não resisto em partilhar com vocês alguns exemplos:

- O primeiro exemplo vem do rapaz conhecido pela sua escrita criativa em crónicas que arrastam “meio mundo”. São giras as crónicas. Os assuntos divertidos e o humor inigualável… Mas, por favor, revê o Português antes de publicar! Refiro-me a coisas como: “veio povoar, à algum tempo… á 41 anos” (?), ou “as frechas mal calaftadas (!!), ou ainda “voçês” (umpffff!)…

- Depois temos o contestatário, sempre a reivindicar justiça para o povo, e que escreve maravilhas como:  “ele dezia”, “faser” e ”meios de subsistensia” 

- Há ainda a refilona, que escreve e repete a palavra “limpesa” vezes sem conta no mesmo debate, mesmo depois de subtilmente as respostas lhe mostrarem que se escreve com um z. Esta mocinha escreve ainda palavras como “eles andão à procura”, “já o encontras-te”, “se eu podesse”, “centenas e de melhares”, entre outras.

Muitos mais exemplos teria, como “criançinhas”, “mecheu” e “pressisasse”. E isto são apenas alguns exemplos recolhidos agora mesmo numa passagem rápida por algumas das discussões de dois dos grupos!

Se lhes gabo a paciência de andarem a discutir o sexo dos anjos, gabo ainda mais a paciência de quem consegue ler tanto disparate!!! 

É que, "o inventor de Portugal, foi um Português"!!! ehehehehe

2 comentários:

L.O.L. disse...

É pur eças i pur autras que naum tanho faicebuki. lololololololol.

http://ocantinhodomestre.blogspot.com/2011/08/desafio-musical-n-9.html

Estudante disse...

Vocês com "ç" até me dá vómitos...