quarta-feira, 13 de julho de 2011

Viver online

Sou uma miúda fã de tecnologias. Nem que seja por uma questão de “deformação” profissional (e de formação, claro).

Faço todas as compras que posso pela internet – até porque detesto lojas e shopping centers. 

Sou cliente online de tudo quanto é serviço básico, seja edp online, finanças online, segurança social online, banco online, tudo online! E irrita-me o que não tenha online.

Sou fã de redes sociais. 

No princípio, era o Hi5. E este, com o correr do tempo, transformou-se numa montra de “garotas de programa”. Um site de engates gratuito – ups, desculpem, de encontros. Deixei de ter.

A seu tempo, já visitei verdadeiros sites de encontros. Achei o Meetic ou o Match.com engraçados, enquanto conceito.

Tenho Liked-In que, dizem, é a maior rede social profissional. Nunca de lá tirei nenhum proveito, mas nunca se sabe! Acho muito interessante e vou mantendo um perfil actualizado e uma rede de contactos devidamente seleccionados. 

Estou no The Star Tracker. Era a rede dos talentos Portugueses espalhados pelo mundo e pretendia juntar sinergias e ser um elo de ligação e partilha de experiências e conhecimento. Fez-se um grande alarido, com direito festa no Campo Pequeno e apadrinhamento pelo nosso Presidente (sim, o da República). Mas depois, desencantou.

Testei o twitter – são poucas palavras para quem gosta de escrever tanto. Nunca consigo dizer tudo o que quero, e tudo passa muito depressa por lá.

Tenho Facebook. É que hoje em dia, quem não tem Facebook é um info-excluído! Tudo acontece por lá. Expõem-se vidinhas aos olhos do mundo. Diz-se que se vai beber café. E quando se vem de beber café. Que se vai ao cinema e quando se vem do cinema. Acho até que há gente que diz quando “vai ali e já vem”. Dizem-se coisas sem pensar. Jogam-se jogos, mandam-se flores, e beijinhos, e abracinhos….

E já por ainda o Google +. Trial. Parece que é o último grito em redes sociais. Tb já lá estou… recebi mas ainda não me convenceu!

Por fim, tenho o meu Blogue – este, em que a cada dia vos dou uma música e algumas histórias. Para mim faz todo o sentido. Vai assumindo um tom mais irónico, mais humorístico (ou com algumas tentativas de o ser), mais crítico, mais romântico. Depende apenas do meu estado de espírito, do que me apetecer escrever, e de quando me apetece escrever. 

Mas acima de tudo é muito ponderado. Porque, quando publicamos alguma coisa na internet, ela fica. O que dizemos, depressa é esquecido. O que escrevemos, fica lá. É inegável. Ainda para mais se o expomos ao mundo. E tem implicações. 

Não se trata de não ser frontal ou transparente. Trata-se de ser ponderado. Medir o alcance e as consequências dos nossos actos e estar prontos a assumi-las de forma consciente é uma virtude.

Que ninguém diga mal do chefe no Facebook, e pense que ele nunca vai saber. 

Que a ingenuidade tem limites, mas a internet não! 


Primeiro, sem música, mas com muita piada:



E agora, música...


4 comentários:

Alice disse...

olá,

eu também uso muitos serviços online, mesmo agora acabei de comprar pelo Continente online.
mas há coisas que gosto de experimentar, de ver ao vivo.
também tenho Facebook, mas tento preservar-me ao máximo, só tenho 2 fotografias e não ando a contar o que ando a fazer. foi através do Facebook que encontrei amigos de infância, colegas de escola, foi o que mais gostei.
tenho twitter, e gosto para estar sempre em cima do acontecimento.
tenho blogue, e é anónimo, para poder falar o que me apetece, com moderação sempre.
gosto muito das novas tecnologias, mas adoro muito mais a vida longe de um ecrã de um portátil (mas sou tão viciada em andar pela Internet, fora das redes sociais, ai, ai. é que é informação que nunca mais acaba) :-)

Teresa disse...

Olá Alice. Bem vinda! :-)
É um mundo a internet.... informação e mais informação. Mas, de facto, nada como o contacto pessoal, no mundo real!
:-)

Teresa disse...

Ups... eu, sem querer, apaguei o comment do GM.
Como foi sem intenção, copio-o do email de alerta que recebi:

.:GM:. deixou um novo comentário na sua mensagem "Viver online":
Se podia viver sem Internet? Poder, podia, mas não era a mesma coisa. ;-)

VP disse...

Daft punk, Daft punk, Daft punk,Daft punk*.*
Depois do que li, só mesmo isto é que vem há cabeça...
:)