sexta-feira, 22 de julho de 2011

22 de Julho de 1939

Faltam-me as palavras para escrever sobre o que hoje passa no meu coração. Por isso, optei por copiar o que escrevi aqui, há dois anos atrás.

E não passa um dia sem que te lembre, Mãe. Não passa um dia sem que use uma expressão que dizias, sem que recorde um dos teus gestos... 

Tenho muitas saudades tuas. Fazes-me falta! Tanta.


*******************

22 de Julho de 1939

Teriam sido ontem 70 anos, se tivesses continuado a partilhar connosco este mundo que sempre foi tão cruel contigo. Mas foi melhor assim. Foi menor o sofrimento. O teu, principalmente.

Não completaste os 70 anos, mas acabou-se a tua já longa dor. 


Ontem, pensei em ti vezes sem conta, mas não conseguia escrever nada. E d
epois do tanto que já escrevi sobre ti aqui, ou aqui, e das tantas vezes em que te referi neste blogue, resta-me dizer-te que tenho tantas saudades tuas!

Sinto a tua falta todos os dias. Queria poder partilhar contigo os momentos de imensa alegria que tenho vivido ao lado de um grande amor - e nem imaginas as vezes que já pensei que irias gostar dele (e ele de ti, certamente). Tenho pena de ver a minha "Piolha" crescer, sem que tu o acompanhes. Tenho pena de já não poder ligar-te para ouvir a tua voz. 


Mas a vida é mesmo assim. E, dentro de mim, vais estar para sempre viva!
 
Por isso, onde quer que estejas (e sei que me vês e me sentes): FELIZ ANIVERSÁRIO, MÃE!

Aqui fica a "tua" música... A "nossa" Pedra Filosofal, que ouvimos juntas em tantas tardes da minha infância e que tantas recordações tuas me trás!



1 comentário:

Alix disse...

oh querida, nem quero imaginar. muita força para ti.*

bijinhos
*.*