terça-feira, 12 de julho de 2011

Primeiro beijo.


Ontem, depois de ler um post da Sahaisis sobre primeiros beijos, fui invadida por uma doce nostalgia e não resisti a colocar aqui o que comentei por lá, acrescentando algumas pitadas.

As memórias do nosso primeiro beijo. O beijo mais inesquecível. Fez-me dar três voltas à Praça de Espanha. Literalmente!

Foi na despedida de um almoço em que nenhum de nós comeu. Foi um primeiro beijo pensado. Não porque estivesse já pensado, mas porque já tinha sido imaginado por ambos vezes sem conta.

No final do almoço, ele acompanha-me ao carro. Um até logo doído. De quem não tem vontade de ir. E surge o primeiro beijo. Assim, do nada. No meio da rua. Sem ser muito "rebuscado", que afinal estávamos no meio da rua. Mas tão sentido que me deixou "zonza". 

Meti-me no carro, e sem exagero, contornei a Praça de Espanha três vezes. Sorriso estúpido nos lábios. Nem conseguia saber para onde ia. Mais algumas voltas. Embasbacada nos semáforos, com a cabeça num turbilhão, lá encontro a saída para a A5.

Depois desse primeiro beijo, muitos “primeiros beijos” se seguiram. E ainda se seguem.

Criámos como que um código de beijos. Há beijos que transmitem carinho – dizem até já. olá. cheguei. amo-te. dorme bem - São beijos doces e simples, e não aspiram a mais do que demonstrar sempre o quanto estamos próximos e nos amamos. 

E depois há os primeiros beijos, que continuam até hoje. Primeiros, no que a eles se segue. Que fazem a terra tremer. Aqueles que arrebatam. Que nos enrolam no turbilhão. Só não costumamos estar na praça de Espanha!

E apareces tu. E a terra começa a tremer. És o meu Ponto fraco.
Os "Oioai" – é mais música portuguesa, com certeza!

1 comentário:

Sónia Santos disse...

Adorei este post...já tinha saudades de te ler...
Beijos e até terça ;)