terça-feira, 12 de julho de 2011

É viver, para aprender!

Era como a minha mãe me costumava dizer, “é viver, para aprender”. 

Aprendi hoje que a forma como vejo os outros não corresponde forçosamente à forma como eles me vêem a mim. Assim como aprendi que deixar que façam verdadeira, activa e genuinamente parte da minha vida, não significa que pretendam que eu faça parte das suas vidas. Aprendi hoje que infelizmente, para muitos, o que conta é pura e simplesmente a gestão de interesses.

É triste concluir, aos (quase) 39 anos, que eu sou uma pessoa de difícil aprendizagem - é que não é a primeira vez que me surpreendo com este tipo de coisas, mas teimo em nunca me recordar numa próxima volta! Vamos a ver, portanto, se é desta!

Ahhhh…. E não arranjei música para ilustrar este post!... não conhecia nada que se enquadrasse. Mas podem sempre sugerir, e assim enriquecer os meus conhecimentos musicais :-)

Sem comentários: