sexta-feira, 15 de julho de 2011

Ainda os livros...

Tou a ver que com as vossas sugestões, vou ter de fazer as palavras cruzadas dos jornais do dia! Ou então comprar um livrinho de Sudoku - coisa que odeio!!!.

Como é que, em 25 visitantes que por aqui passaram só ontem., apenas os meus amigos R e GM é que deram sinal de vida??? - Já gora, R., por acaso eu também vi na Sic Notícias a apresentação desse livro, e fiquei curiosa. E, GM, ainda que os teus gostos não coincidam com os meus, podias sugerir qualquer coisinha. Sempre ficaria a conhecer melhor os teus gostos! E olha que eu sou uma pessoa de gostos muito variados, acredita! :-)

Bom, agradecimentos feitos e respostas dadas,  já sei o que vou fazer!

É hoje que vou embrenhar-me na biblioteca da minha mãe. Desde que ela se foi, há tão saudosos e longos 6 anos, que ando para ir buscar os livros que me deixou. São imensos. De todos os géneros. O meu pai não é pessoa que goste de ler - excepção feita aos jornais diários e aos desportivos. É de homem!. Os meus irmãos, idem. Preferem fazer zapping na TV. De leituras, só o Jogo ou o Record.

Foi a mim que a minha mãe contagiou com o seu vício pelos livros. Comprava-os regularmente. E devorava-os.

Ensinou-me a gostar de autores clássicos - começámos pelo "O Pequeno Príncipe", de Antoine de Saint-Exupéry. Seguiram-se mil livros, de tantos e tantos autores. Acho até que fui a única miúda lá do sítio que leu "Os Maias", e gostou.

A minha Mãe deu-me a conhecer um outro lado de Jorge Amado, há muitos anos atrás. Passámos pelos laureados Saramago, Isabel Allende, Gabriel Garcia Marquez, Umberto Eco... Mas também pelo fantástico (não só no sentido qualtitativo, mas no sentido de fantasioso) Stephen King, ou Robin Cook.

Recordo-me também de ter sido a minha mãe quem me apresentou a alguns dos contemporâneos portugueses - de que recordo o quase desconhecido, mas tão português Altino Tojal, ou a escrita tão contemporânea de Mário Zambujal.

Romances, thrillers, espionagem...

Por isso, hoje vou pegar no pacote dos lenços de papel, e vou vasculhar naquelas prateleiras todas o que será a minha leitura de férias. Vou relembrar todos os que já li (uma ínfima parte) e, com toda a certeza, vou descobrir uns quantos para ler nos próximos tempos.

E quando às vossas sugestões... vá lá.... revelem-se! A gerência agradece!

E aqui fica uma música que não tem nada a ver... é só porque eu gosto:

2 comentários:

Alice disse...

Eu também desde que aprendi a ler que leio muito. Desses autores que aí mencionaste li praticamente todos. Sempre adorei ler.

Depois diz qual foi a tua escolha.

**

Teresa disse...

Peguei no Caim, do Saramago.

Já tanta gente me disse mal. Tinha-o ali na prateleira há já algum tempo... decidi dar-lhe uma hipótese.

Para já, estou a gostar!

Beijinhos,

T