quarta-feira, 4 de novembro de 2009

O maior cego, é aquele que não quer ver!

Isto é sabedoria popular. E apenas reforça a ideia de que o ser humano é como as avestruzes: esconde a cabeça na areia pensando que, se não conseguir ver o seu problema, também mais ninguém o verá. E assim ele desaparecerá por si só.

Ora, isto é uma característica muito estúpida, convenhamos. Quando se tem um problema e se esconde a cabeça na areia, o mais provável é que se acabe por sofrer consequências ainda piores que as que se sofreriam ao encará-lo numa fase inicial.

Porque, no início, todos os problemas são apenas pequenas questões a ser resolvidas. Porém, com o correr do tempo, avolumam-se as complicações – pesam todas as ideias que cresceram no silêncio de quem está envolvido, surgem as dúvidas, envolvem-se sentimentos. Tudo somado e inflacionado por esse tempo que não se detém.

Por fim, acaba-se inevitavelmente por levantar a cabeça, observar o que era claro e concluir: “Se calhar eu tenho um problema”…


Nesse momento, já não será só um problema. Será o monstro que criámos!

E agora, divagações à parte, fica uma música antiga com uma roupinha nova!... FAME! Contagiante (quase melhor que o original!) - o filme, ainda não vi...

Sem comentários: