terça-feira, 15 de setembro de 2009

Coisas de quem está "de molho"

Mayday! Mayday!... Escritório em "alerta laranja"!!!! ... A Teresa está com dores de garganta e com febre! Só faltou ligarem a sirene e vestirem todos um fato especial. Ás tantas, até já eu começava a ter medo de estar ao pé de mim, não fosse ter mesmo Gripe-A.

Mas o facto é que fui atacada por uma violenta amigdalite, que se desenvolveu galopantemente na minha linda gargantinha desde o fim de semana e que ontem acabou por me deixar de molho, enfrascadíssima em comprimidos.

Ora, hoje, depois de aliviadas a febre e o mau estar matinais com o belo do ben-u-ron, eis-me sem companhia e sem nada para fazer (ok, podia dedicar-me à lida doméstica, que há sempre qualquer coisinha para fazer, mas deixem lá isso!). E, sem feitio para estar na cama a avaliar para as imperfeições do tecto, decidi-me por vir aqui "dar ao dedo" e partilhar convosco algumas questões pertinentes:

- Porque é que só há duas opções de antibiótico???
Ou é um xarope grosso e nojento que nos empurra para o vómito e nos tortura, ou é um comprimido tão grande que até parece que estamos a tentar engolir uma bola de ténis! Será que os farmacêuticos que os desenvolvem não os tomam? Ou serão de tal maneira sádicos que se divertem a imaginar a figura de alguém com uma amigdalite como a minha a tentar engolir aquele monstro???

- Será que ser atendida em 18 minutos no Hospital Amadora-Sintra me permite entrar para o World Guiness Book of Records????
É que ontem, desde que fiz a minha inscrição até que saí pela porta devidamente atendidinha, decorreram apenas 18 minutos!!!! Unbelievable!!! 18 minutos bem contadinhos... E porquê?? Porque existe uma coisa que funciona mesmo, chamada triagem. E enquanto havia uma interminável fila de gente em espera para os vários clínicos gerais e demais médicos de serviço, eu fui alegrar o dia do Otorrino de Serviço nas Urgências. E não é que parece que o senhor estava mesmo à minha espera. Não tinha nenhm freguês para atender. Se não fosse eu e as minhas amígdalas, o coitado do senhor tinha morrido de tédio!

- Será que ainda há gente que acha que é melhor para uma criança viver institucionalizada do que ser adoptado por um casal homosexual?
Pelos vistos, o Governo Ucraniano não permitiu ao cantor Elton John adoptar o bébé ucraniano de pouco mais de um ano que conquistou recentemente o coração do cantor. A criança nasceu seropositiva e é orfã. Portanto, uma criança que, à partida, terá um futuro muito pouco risonho... É que não há por aí muitas famílias que queiram adoptar crianças doentes!!! E, ainda assim, o gorverno apreciou negativamente a adopção, com base em dois argumentos:
a) Elton John é muito velho - 62 anos... ok, novo ele não é! Com algum esforço, até posso tentar compreender essa posição, no entanto, o seu companheiro tem apenas 47...
b) Não se trata de um casal tradicional!! E é esta parte que me deixa "furiosa". Como é possível negar a uma criança o acesso a alguma felicidade, mesmo que seja dentro de parâmetros pouco convencionais, quando a única certeza que tem na vida é a solidão, a rejeição e a doença.
O preconceito humano revolta-me! revolta-me tanto, tanto!!!! Amor é a coisa mais importante no desenvolvimento de uma criança. Seja lá de pai e mãe, ou de dois pais. As crianças, desde que se sintam felizes, adaptam-se.... e não têm preconceitos!

E para terminar, uma homenagem. A um actor / cantor / bailarino que fez as delícias das adolescentes do meu tempo. Que nos marcou e nos fez sonhar. No Ghost, ou no Dirty Dancing. Morreu hoje. Lutou o mais que pode contra essa grande epidemia dos nossos dias - o cancro. Deixou este mundo, mas deixa por cá a sua marca. Aqui fica ela:


2 comentários:

Chocolate disse...

As melhoras gaja!

O escritório não sobrevive sem ti!

Precis Almana disse...

Bom, primeiro que tudo, as melhoras para ti!
Depois, sem ordem: acredito nos 18 minutinhos, já passei pelo mesmo! No mesmo hospital! Só variou a especialidade, fui à ginecologia por causa de uma hemorragia. Mas a triagem é espectáculo! Porque se nos mandam para o hospital é porque é urgente (fui através da linha 24, imagino que tu também).
Em relação à adopção dos homossexuais, perfeitamente de acordo contigo. o "ah e tal precisam de família de referência e tradicional". Mas o que é isso agora, quando as famílias são cada vez mais monoparentais ou uma mistura de parentes que envolve o pai e madrasta por um lado, a mãe e o padrasto, mais irmãos de um lado e irmãos do outro? Não é?
Em relação ao Patrick, fez-me imensa impressão...
Quanto aos comprimidos, é que é mesmo isso! Tenho uns de vitaminas que mesmo sem amigdalite são raras as vezes em que consigo tomar aquilo sem ficar mal disposta...
E pronto, acho que não me esqueci de nada.
As melhoras, as melhoras, as melhoras! E aproveita para descansar!