segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Parabéns Princesa!!!!

Não. Não me apetece falar de eleições, de quem ganhou ou de quem perdeu. Nem mesmo da enorme percentagem de abstenções, que apenas revela a corja acéfalos que constituem este país. Para esses deixo apenas uma frase: "depois, não se queixem!!!!"

Enfim, hoje não estou para políticas nem para comentários pseudo-intelectuais!

Hoje quero apenas deixar o maior beijo de Parabéns do mundo à minha "Piolha" maior! Á "Traquinas", como o papá (babado) lhe chama.

Ahhh, 16 Anos!... Quando olho para ti, revejo os meus próprios 16 anos. Tanta loucura, tanta descoberta, tanta maluquice! Os amigos, as "borgas"... tudo vivido a mil!

Por isso, hoje desejo que tenhas um dia muito bom, cheio de coisas boas e divertido. E o que mais desejo para o teu futuro é que te venhas a tornar numa mulher muito feliz e realizada!

Aproveita esta fantástica fase da tua vida, minha princesa - os teus 16 aninhos!!!! Nós cá estaremos sempre para te apoiar, porque acima de tudo e apesar da distância, nós adoramos-te!!!

E, em vez da "batida" música dos Parabéns, aqui fica uma de que gostamos as duas!!!!


quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Puxa-saco

Nunca serei ninguém. Ou melhor, nunca subirei muito na minha carreira. E, por vezes, isso deprime-me. Faz-me sentir que não pertenço a este mundo em que vivo!... Mas passa-me logo!!!

Não porque não tenha as capacidades necessárias para tal - modéstia à parte, sou bastante profissional, competitiva e… sei muito disto! Valorizo a formação, a partilha de conhecimentos e a inovação como formas de enriquecimento pessoal e profissional.

Mas, ainda assim, sei que nunca serei ninguém por aqui. Porque não sei viver de vender a minha imagem - irónico, para quem trabalha em comunicação e r.p.! Não sei viver de relacionamentos de conveniência. De dar graxa publicamente a quem mais convém (mesmo que o considere um palhaço!). Não sei viver de gerir interesses, apenas para subir. Não sei viver de aparências. E muito menos de fretes!

Ou melhor, sei mas não consigo. E sei que isso é uma opção minha. Podia fazê-lo, e até nem vejo nada de errado nisso. É apenas uma opção, senão vejamos: eu, e os outros 15 mil empregados da minha empresa (só na minha região) recebemos um e-mail do director a dizer que o fulano tal (chefe de alguma coisa na minha área) foi promovido ou atingiu este ou aquele objectivo e está a ser reconhecido por isso. Eu tenho duas opções: ou penso "boa para ele, é um fulano competente e merece" e fico-me por aí; ou armo-me em “Puxa Saco”. Caso seja esta última a opção da minha escolha, clico de imediato no “Reply to All” – é importante que seja “to all”, para tornar a minha graxa pública – e elaboro um daqueles entusiásticos e-mails de “puxa saco” - qualquer coisa do tipo “Great! Terrific!!! Well done!!! Your work has been fantastic!… blá, blá, blá” – e aproveito para acrescentar em “cc” todos os gajos importantes cá do sítio, para garantir que não falhe.

E assim, sempre que circula um e-mail de reconhecimento/felicitação nesta casa, seguem-se 200 e-mails de “puxa-saco” que nos inundam a mailbox e que servem apenas os propósitos de crescimento de quem os enviou.

E mais. As pessoas que enviam estes e-mails são as mesmas que vão religiosamente almoçar apenas com quem interessa – mesmo que nem sequer sorriam durante o almoço, não possam dizer um disparate ou uma piada, não falem de assuntos banais. São aqueles que telefonam aos “influentes” para agradecer o envio de uma documentação (que até seguiu para outros 1000 funcionários). Que fingem trabalhar durante o dia e depois respondem aos mails às onze da noite.

E resulta???.... Oh, se RESULTA!!!!!!!

Portanto, se nunca vou ser ninguém por aqui, é mesmo só porque não quero! Porque gosto de ter uma vida pessoal e não ter de ver mail às onze da noite para impressionar. Porque gosto de almoçar com a malta do costume, e divertir-me com as parvoíces que dizemos. E porque, acima de tudo, não tenho feitio para dar graxa a ninguém.

Faço o que gosto. Tenho trabalho, e sou feliz. E a vida do Director-Geral, obrigadinha, mas não a quero!



quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A arte da Tatoo


Jamais faria uma. Em primeiro lugar porque tenho medo - eu diria mesmo pavôr - de agulhas. E depois, porque não tem nada a ver com o meu estilo - se é que se pode dizer que tenho estilo! ehehehe.

Mas gosto muito de ver. Não é necessário ser uma coisa enorme, nem tampouco gosto de ver um fulano todo desenhadinho, que sempre ouvi dizer que o que é demais enjoa!...

Acima de tudo, o que mais admiro nesse mundo das Tatoos, é o enorme talento e o sentido estético que o Tatuador deve ter.

Um grande, grande, amigo meu é Tatuador profissional - é assim tipo os do Miami Ink... é muuuuuuito bom! E ontem criou esta fantástica obra de arte!!!

Ainda não está terminada, e os quilos de pomada que tinha em cima faziam reflexo. Mas está liiiiinnnnnnnnnnda! Brutal!!!!


Ah, já agora, vou utilizar este blogue como ferramenta para ajudar o negócio do meu amigo! Eheheheh, se quiserem uma Tatuagem ao estilo Miami Ink, digam... usem o mailzinho do perfil...

E aqui fica Scorpion... "You and I! We have a dream!..." (ah, e a falta do "s" foi propositada, porque me refiro ao scorpion, e não aos Scorpions! Ehehehehe)

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Coisas de quem está "de molho"

Mayday! Mayday!... Escritório em "alerta laranja"!!!! ... A Teresa está com dores de garganta e com febre! Só faltou ligarem a sirene e vestirem todos um fato especial. Ás tantas, até já eu começava a ter medo de estar ao pé de mim, não fosse ter mesmo Gripe-A.

Mas o facto é que fui atacada por uma violenta amigdalite, que se desenvolveu galopantemente na minha linda gargantinha desde o fim de semana e que ontem acabou por me deixar de molho, enfrascadíssima em comprimidos.

Ora, hoje, depois de aliviadas a febre e o mau estar matinais com o belo do ben-u-ron, eis-me sem companhia e sem nada para fazer (ok, podia dedicar-me à lida doméstica, que há sempre qualquer coisinha para fazer, mas deixem lá isso!). E, sem feitio para estar na cama a avaliar para as imperfeições do tecto, decidi-me por vir aqui "dar ao dedo" e partilhar convosco algumas questões pertinentes:

- Porque é que só há duas opções de antibiótico???
Ou é um xarope grosso e nojento que nos empurra para o vómito e nos tortura, ou é um comprimido tão grande que até parece que estamos a tentar engolir uma bola de ténis! Será que os farmacêuticos que os desenvolvem não os tomam? Ou serão de tal maneira sádicos que se divertem a imaginar a figura de alguém com uma amigdalite como a minha a tentar engolir aquele monstro???

- Será que ser atendida em 18 minutos no Hospital Amadora-Sintra me permite entrar para o World Guiness Book of Records????
É que ontem, desde que fiz a minha inscrição até que saí pela porta devidamente atendidinha, decorreram apenas 18 minutos!!!! Unbelievable!!! 18 minutos bem contadinhos... E porquê?? Porque existe uma coisa que funciona mesmo, chamada triagem. E enquanto havia uma interminável fila de gente em espera para os vários clínicos gerais e demais médicos de serviço, eu fui alegrar o dia do Otorrino de Serviço nas Urgências. E não é que parece que o senhor estava mesmo à minha espera. Não tinha nenhm freguês para atender. Se não fosse eu e as minhas amígdalas, o coitado do senhor tinha morrido de tédio!

- Será que ainda há gente que acha que é melhor para uma criança viver institucionalizada do que ser adoptado por um casal homosexual?
Pelos vistos, o Governo Ucraniano não permitiu ao cantor Elton John adoptar o bébé ucraniano de pouco mais de um ano que conquistou recentemente o coração do cantor. A criança nasceu seropositiva e é orfã. Portanto, uma criança que, à partida, terá um futuro muito pouco risonho... É que não há por aí muitas famílias que queiram adoptar crianças doentes!!! E, ainda assim, o gorverno apreciou negativamente a adopção, com base em dois argumentos:
a) Elton John é muito velho - 62 anos... ok, novo ele não é! Com algum esforço, até posso tentar compreender essa posição, no entanto, o seu companheiro tem apenas 47...
b) Não se trata de um casal tradicional!! E é esta parte que me deixa "furiosa". Como é possível negar a uma criança o acesso a alguma felicidade, mesmo que seja dentro de parâmetros pouco convencionais, quando a única certeza que tem na vida é a solidão, a rejeição e a doença.
O preconceito humano revolta-me! revolta-me tanto, tanto!!!! Amor é a coisa mais importante no desenvolvimento de uma criança. Seja lá de pai e mãe, ou de dois pais. As crianças, desde que se sintam felizes, adaptam-se.... e não têm preconceitos!

E para terminar, uma homenagem. A um actor / cantor / bailarino que fez as delícias das adolescentes do meu tempo. Que nos marcou e nos fez sonhar. No Ghost, ou no Dirty Dancing. Morreu hoje. Lutou o mais que pode contra essa grande epidemia dos nossos dias - o cancro. Deixou este mundo, mas deixa por cá a sua marca. Aqui fica ela:


sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Ainda sobre a Liberdade

Inspirada pela minha amiga “Sininho” e por um “animado” debate, acabei por me debruçar hoje um pouco mais sobre um assunto.

A questão era a liberdade de expressão, e transpunha-se o conceito para a nossa vidinha quotidiana - como somos, como nos comportamos, e como é encarada hoje em dia a liberdade de expressão nos diversos ambientes – no laboral, no núcleo de amigos, na família, ou até na blogosfera.

A opinião generalizada é de que se vive hoje em dia numa espécie de “opressão”, em que as pessoas acabam por não expressar as suas ideias e opiniões pressionadas pelo líderes de opinião ou políticos, pelos seus superiores hierárquicos, pela sociedade e pela comunidade em que se inserem. No trabalho, por exemplo, têm o receio de ser despedidos ou postos à margem.

Ora, isto era a opinião generalizada… mas não é a minha opinião!

Para mim, dizer tudo o que nos passa pela cabeça e tudo o que nos apetece não é exercer Liberdade de Expressão. É ser burro!

Como se costuma dizer, "a minha liberdade termina onde começa a dos outros". Eu tento ter isso sempre em mente, e quero acreditar que o que se passa hoje em dia não se trata de "opressão" mas sim de "opção" - nós escolhemos não dizer o que realmente pensamos, o que nos apetece ou vai na cabeça.

E acho que escolhemos fazê-lo apenas porque nos convém. Porque poderemos tirar melhor partido disso, porque não queremos melindrar alguém, ou porque simplesmente não queremos ser confrontados ou assumir/enfrentar as consequências.

Mas, acima de tudo, acho que é uma opção. Não existe nenhum bicho-papão que nos persiga. O tempo da PIDE já lá vai e, graças a Deus, a nossa geração nem sequer sabe do que se trata (e as posteriores ainda menos).

Nós já nascemos numa época em que a Liberdade é mais que muita, conduzindo em muitos casos à cretinice e à desinformação. Basta olhar-se para as verdadeiras “palhaçadas” nos debates políticos, para as notícias sensacionalistas que abrem os noticiários, para o número de revistas cor-de-rosa que se vendem. Ou, saindo do plano dos meios de comunicação, basta reflectir sobre a forma como os alunos falam com os professores hoje em dia, ou mesmo como muitos filhos falam com os pais. A liberdade de expressão é, nos dias que correm, um direito do qual se usa e abusa, e que serve de desculpa para as atitudes mais descabidas.

Eu, pessoalmente, assumo que nem sempre digo o que penso!... Há mesmo muitas coisas que escolho não dizer, ou situações em que prefiro “dourar a pílula”, pura e simplesmente porque considero que essa é, no momento, a opção mais sensata.

Mas atenção! Lá por não dizer sempre tudo aquilo que penso, (e isto é fundamental) não quer dizer que alguma vez diga o que não penso!!!!

... isto tudo é apenas “a meu ver”!!! (expressão gentilmente “gamada” à Sininho)!!!!


E agora... I'm Free! (g'anda malha!)

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

A Liberdade pós 25 de Abril... Diferenças 1978-2008

Não poderia deixar de partilhar um "e-mail" que recebi...

A Liberdade pós 25 de Abril... Diferenças 1978-2008

SITUAÇÃO: O fim das férias.
Ano 1978: Depois de passar 15 dias com a família numa caravana puxada por um Fiat 600 pela costa de Portugal, terminam as férias. No dia seguinte vai-se trabalhar.
Ano 2008: Depois de voltar com a família de Cancún de uma viagem com tudo pago, terminam as férias. As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão, seborreia e caganeira.

SITUAÇÃO: Chega o dia de mudança de horário de Verão para Inverno.
Ano 1978: Não se passa nada.
Ano 2008: As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão e caganeira.

SITUAÇÃO: O Pedro está a pensar ir até ao monte depois das aulas, assim que entra no colégio mostra uma navalha ao João, com a qual espera poder fazer uma fisga.
Ano 1978: O director da escola vê, pergunta-lhe onde se vendem, mostra-lhe a sua, que é mais antiga, mas que também é boa.
Ano 2008: A escola é encerrada, chamam a Polícia Judiciária e levam o Pedro para um reformatório. A SIC e a TVI apresentam os telejornais desde a porta da escola.

SITUAÇÃO: O Carlos e o Quim trocam uns socos no fim das aulas.
Ano 1978: Os companheiros animam a luta, o Carlos ganha. Dão as mãos e acabam por ir juntos jogar matrecos.
Ano 2008: A escola é encerrada. A SIC proclama o mês anti-violência escolar. O Jornal de Notícias faz uma capa inteira dedicada ao tema, e a TVI insiste em colocar a Manuela Moura Guedes à porta da escola a apresentar o telejornal,mesmo debaixo de chuva.

SITUAÇÃO: O Jaime não pára quieto nas aulas, interrompe e incomoda os colegas.

Ano 1978: Mandam o Jaime ir falar com o Director, e este dá-lhe uma bronca de todo o tamanho. O Jaime volta à aula, senta-se em silêncio e não interrompe mais.
Ano 2008: Administram ao Jaime umas valentes doses de Ritalina. O Jaime parece um zombie. A escola recebe um apoio financeiro por terem um aluno incapacitado.

SITUAÇÃO: O Luis parte o vidro dum carro no bairro dele. O pai espeta-lhe uma valente tareia.
Ano 1978: O Luis tem mais cuidado da próxima vez. Cresce normalmente, vai para a universidade e converte-se num homem de negócios bem sucedido.
Ano 2008: Prendem o pai do Luís por maus tratos a menores. Sem a figura paterna, o Luís junta-se a um gang de rua. Os psicólogos convencem a sua irmã de que o pai também a maltrata e metem-no na cadeia para sempre. A mãe do Luís começa a namorar com o psicólogo. O programa da Fátima Lopes mantém durante meses o caso em estudo, bem como o Você na TV do Manuel Luís Goucha.

SITUAÇÃO: O Zézinho cai enquanto praticava atletismo, arranha um joelho. A sua professora Maria encontra-o sentado na berma da pista a chorar. Maria abraça-o para o consolar.
Ano 1978: Passado pouco tempo, o Zézinho sente-se melhor e continua a correr.
Ano 2008: Maria é acusada de perversão de menores e vai para o desemprego. Confronta-se com 3 anos de prisão. O Zézinho passa 5 anos a saltar de terapia em terapia. Os seus pais processam a escola por negligência e a Maria por trauma emocional, ganhando ambos os processos. Maria, no desemprego e cheia de dívidas, suicida-se atirando-se de um prédio. Ao aterrar, cai em cima de um carro, mas antes ainda parte uma varanda com o corpo. O dono do carro e do apartamento processam os familiares da Maria por destruição de propriedade. Ganham. A SIC e a TVI produzem um filme baseado neste caso.

SITUAÇÃO: Um menino branco e um menino negro andam à batatada por um ter chamado 'chocolate' ao outro.
Ano 1978: Depois de uns socos esquivos, levantam-se e vai cada um para sua casa. Amanhã são colegas.
Ano 2008: A TVI envia os seus melhores correspondentes. A SIC prepara uma grande reportagem, dessas com investigadores que passam dias no colégio a averiguar factos. Emitem-se programas documentários sobre jovens problemáticos e ódio racial. A juventude Skinhead finge revolucionar-se a respeito disto. O governo oferece um apartamento à família do miúdo negro.

SITUAÇÃO: Fazias uma asneira na sala de aula.
Ano 1978:O professor espetava-te duas valentes reguadas bem merecidas. Ao chegar a casa o teu pai dava-te mais duas porque 'alguma deves ter feito'
Ano 2008: Tu fazes a asneira... o professor pede-te desculpa. O teu pai culpa-se e para minimizar, compra-te uma Playstation 3.

.. Ó tempo, volta para trás!!!!!


sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Pronto, agora já não quero votar nele!...

...No Sócrates, é claro!!!

Sim, tudo por causa da "Bocarra Grande" e do Jornal de Sexta da TVI - esse fantástico canal televisivo em que os noticiários conseguem ser (quase) tão maus como as infindáveis telenovelas!!

É que eu ainda tive esperança!... mas afinal, uma decisãozinha tão bem tomada, e nem foi obra dele???? Óhhh Sócrates! Até fiquei desapontada! É que, acabar com a feira da "Bocarra", era uma boa razão para votar!

Bom, agora fora de brincadeiras: tratando-se ou não, à luz da nossa legislação, de uma decisão ilegitima da administração do canal, o certo é que é totalmente descabido associar-se ao envolvimento do nosso Primeiro. Até porque, nesta altura do campeonato, este assunto só poderia ser-lhe prejudicial!...Mas enfim, há sempre umas quantas cabecinhas pensadoras e há sempre uns quantos que lucram...

Mas isto é apenas a minha opinião, e vale o que vale!

Ó Manuela, why don't you get a job???


quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A família a aumentar!


E cá está ele! O novo elemento da nossa família!

Chama-se Pantufa... Foi a "Piolha" que lhe pôs o nome, que por mim chamava-se Zorro ou Zé-Gato, mas enfim. A "Piolha" teve um rasgo de originalidade e agora não há quem a convença de outro nome!

O Pantufa tem dois meses e meio, é muito fofinho, brincalhão e muito, muito maricas (mas suspeito que por cá, essa mariquice vai piorar!).

E não é que tem bom gosto, o gato?! É que, apesar da "Piolha" querer ser a dona do bichano, a escolha dele recaiu desde o primeiro olhar sobre o meu "Amorudo"!.... Ai, como eu o compreendo!!!!!! Ehehehehe

E pronto... como banda sonora, um regresso à minha infância, e a uma série de que ainda hoje me lembro...
... Tipo "CSI à Portuguesa"!!! "Quem és tu Zé Gato?"