quarta-feira, 19 de agosto de 2009

TPM

Tenho para mim que o TPM é como o álcool. Isto, porque temos a estranha tendência para deixar aflorar o que de mais recôndito existe nas nossas cabecinhas de mulher.

É como se ficássemos “sem filtro”. Para o bem, e para o mal! É como quando se apanha uma valente piela, e se começa a beijar tudo o que é amigo, a dizer-lhes que os amamos de lágrima ao canto do olho. Ou, ao invés, se arma a maior barraca só porque aquele gajo que foi nosso colega de escola, e de quem nunca gostámos, olhou para nós.

Quanto o TPM ataca, sentimo-nos péssimas porque temos plena consciência dele e dos seus efeitos – ok, inicialmente, com o álcool não é bem assim - mas não conseguimos combatê-lo.

E é quando ouço (ou digo) aquela expressão mágica “Deixa lá, é do TPM!”, que me questiono. Sim, é do TPM, é certo. Mas é real. O TPM não põe coisas na minha cabeça! As minhas inseguranças não existem por causa do TPM. Existem porque, na verdade, as tenho. Escondo-as, mas tenho-as. Domino-as, mas existem lá no fundo. E são as minhas inseguranças que tenho de combater, e não o TPM.

Assusta-me errar e perder quem amo. Assusta-me o silêncio. Assusta-me a mudança... mas também me assusta a rotina. Assusta-me o futuro, mas é o futuro que mais quero construir. Assusta-me envelhecer. Assusta-me olhar para o espelho e ver que já não está lá a mesma miúda de 25 anos e 50 quilos. Assustam-me as mudanças no meu corpo, as rugas, a doença – e não é só a minha.

Não sou diferente da maioria das mulheres. Tenho inseguranças que, no fundo, nem sequer têm razão de ser. Mas só saem cá para fora uma vez por mês… depois, voltam para o fundo do baú da minha consciência. São só minhas.

E os homens??? Sim... os homens também têm inseguranças! Só que os homens não têm TPM!… Os Sortudos!!!


Man, I feel like a woman!

2 comentários:

Precis Almana disse...

Bom, primeiro, a TPM. Nunca mais lhe dediquei atenção desde que de tanto dizer que era da TPM deixavam (o meu namorado da altura) de levar a sério o que eu dizia e já vinha com "está para te vir o período'". GRrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr E eu que detesto não ser levada a sério quando estou a sério...
Quanto às inseguranças e envelhecimento e rotinas e etc... Olha, deixa de pensar nisso. Não te pré-ocupes (é mesmo isso que significa, já viste? :-)) com o que não merece. Quando vierem essas coisas todas, nessa altura pensa nelas. Ou não, porque a vida é para ser vivida :-)

Teresa disse...

Eu nem penso muito nessas coisas. É só naqueles dias de "maior sensibilidade", porque depois volta tudo para o baú!!!!
Beijinhos,
T