segunda-feira, 29 de junho de 2009

So long Michael!

Eu sei que este Post já vem um pouquinho tarde. Mas, mesmo assim, não poderia deixar de postar aqui qualquer coisa sobre este assunto, ou não fosse este Blogue tão estreitamente ligado à música.

É um facto que cresci ao som de ícones do Pop dos anos oitenta, e o Micheal Jackson é indiscutivelmente a mais marcante dessas figuras. Relembro o quanto fiquei fascinada a primeira vez que vi o Thriller - muito melhor que qualquer filme de terror que passava por essa altura nos televisores lá de casa e que, ainda por cima, estavam confinados à existência da RTP.

Ficávamos estupefactos com os seus elaborados passos de dança. Todos queriam dançar assim.

O cabelo, os gestos, o sapato preto com meia branca... cada detalhe da sua imagem era pensado ao pormenor.

Depois vieram as polémicas. O declínio do artista. Especulações, opiniões e tantos jornais e revistas vendidas, por conta das mais mirabolantes histórias - verdadeiras ou não - que inevitavelmente tiveram as suas consequências na carreira de Micheal Jackson.

Eu nunca liguei grande coisa a revistas cor de rosa - até porque a minha Mãe sempre me ensinou que "quem mora no convento é que sabe o lá vai dentro!". E por isso, neste momento, apenas me apetece dizer que sinto muito a sua morte.

Sinto muito porque sempre gostei do Micheal Jackson. E porque tinha apenas 50 anos e é sempre triste morrer aos 50 anos.

Enquando cantor, considero que até os seus mais recentes e desconhecidos albuns têm músicas de grande qualidade.

Enquanto ser humano, penso: de que vale ter fama e sucesso, se todos temos o mesmo fim? Assusta-me pensar que é possível ser tão famoso, rico e reconhecido e acabar por morrer sozinho! Sometimes, life sucks!!!!

Fica então, em sinal de homenagem, a minha música preferida da carreira do Michael Jackson - Man in the Mirror.

Não deixo o vídeo original, pois considero que é demasiado violento e nem eu consigo vê-lo sem que me cause algum sofrimento. Mas esta música sempre me transmitiu uma mensagem deveras importante: todos podemos mudar o mundo, e devemos começar por nós próprios!

So long, Micheal!


3 comentários:

Eu disse...

Sem dúvida uma das suas melhores canções..."Man in the mirror" e Earth Song"...ficam-me para sempre!

Precis Almana disse...

Eu descobri uma das que mais gosto. Um destes dias posto-a.

Dylan disse...

Uma criança num corpo de um adulto. Era assim Michael Jackson. A sua candura contrastava com a atitude arrebatadora que exibia em palco, uma espécie de predestinado com um talento invulgar e que enfeitiçava todas as gerações. A educação rígida traçou-lhe o futuro mas sonegou-lhe a infância, enquanto o seu direito de viver recatado era ameaçado à medida que os holofotes da fama acompanhavam o seu crescimento. Pulverizou recordes de vendas mas também era o primeiro a dizer presente às causas humanitárias onde terá doado milhões de dólares. A sua timidez, e porque não dizer a sua extravagância, originavam todos os tipos de rumores, nunca provados.
Goste-se ou não do estilo, revolucionou o mundo do entretenimento artístico e musical impulsionando de vez o respeito e o reconhecimento pela cultura negra.

http://dylans.blogs.sapo.pt/