sábado, 3 de janeiro de 2009

Crónica da Telepatia (“Porque não dizes nada?”).

Conversámos até tarde. Trivialidades. Conversas banais, salpicadas por alguns dos disparates – nem por isso tão disparatados – que dizemos um ao outro, só porque sim. Depois, o tempo parou. Mergulhou na estagnação das horas que não passam. Um tempo que tem a letargia de quem olha fixamente para uma ampulheta, e parece conseguir contar cada grão.

A certa altura, fechei os olhos e pensei: “porque não dizes nada?”. Os pensamentos levaram-me a outras paragens. Às nossas conversas. E embarquei em mais uma viagem por nós, e pelo que somos. Pela nossa amizade. Pelo que quero de ti. Pelos sinais que me dás e depois me roubas. Pelo calor da tua presença, mesmo que não seja física. Pela angústia da tua falta. E assim viajei por alguns instantes.

E é curioso. Parece que as energias dos nossos pensamentos estão numa etapa à frente da nossa! Eles cruzam-se e tocam-se com mais facilidade, talvez porque não tenham as barreiras da insegurança, nem estejam presos no espaço e no tempo.

É de facto curioso… Nesse instante, em que perguntava para mim mesma “porque não dizes nada”, tu respondeste… exactamente do nada.

E, outra vez, todas as forças do universo se reuniram a nosso favor: Onde e quando? Já. Ali mesmo!

Não acreditei, até ouvir a tua voz. Não acreditei até sentir os teus olhos em mim, e o teu sorriso rasgado. E todas aquelas borboletas a voarem-me no estômago.

Agora, o tempo teimava em correr, traiçoeiro! Sempre que queremos que se mova lentamente, prega-nos a mesma partida, e corre! E, quando finalmente caí em mim e acreditei, já tinhas ido!… Deixaste aqui as borboletas, com o teu sorriso e os teus olhos.


...Foi tão breve. Um momento, apenas.

Mas os nossos pensamentos vão continuar a voar constantemente na direcção um do outro. Às vezes parece que os sinto embater, quando se encontram, fazendo estremecer o universo… Já resultou outras vezes: eu penso em ti, e tu respondes.

Por isso, eu pergunto: “porque não dizes nada”?


A Song for you (Micheal Bublé)

1 comentário:

Sininho disse...

Telepatia ou não, o que interessa é mesmo a sintonia e o sentimento que une as pessoas e que as fazem vibrar e esperar sempre por mais e mais!!!!

Eu quero mais, muito mais de mim e do Mundo - Estou a tornar-me exigente!!!!