segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Por cima da Cimeira

Começa hoje a Cimeira de Copenhaga 2009 - Alterações Climáticas.

E por aqui ficam alguns pontos para reflectirmos.

Já muito li sobre o assunto e, se por um lado acho que todos deveríamos ter um comportamento muito mais "amigo do ambiente", por outro questiono-me sobre até que ponto todas as alterações não farão, de facto, parte do ciclo de vida do nosso planeta. O Blogue do João (muito mais conhecedor da matéria do que eu) aborda a questão exactamente por esse prisma.

Eu sou uma leiga nestas matérias. Mas sempre me disse o meu bom-senso (e a tal curiosidade que me faz ler incansavelmente sobre o tema, nas mais diversas perspectivas) que as forças da Natureza são certamente "muuuuuito" mais fortes que nós!

Se, há milhões de anos, os Dinossauros foram dizimados, se houve uma era glaciar, se os continentes se afastaram... e nessa altura nem havia "civilização", então este nosso Planeta não deve ser assim tão estático. E a sua constante e silenciosa (para a nossa percepção) mutação talvez seja a prova de que o nosso mundo está vivo, e tem o seu próprio ritmo e vontade!

Mas também acho que temos alguma dificuldade em compreender estes factos porque a nossa escala temporal (de apenas 70/80 anos, numa geração) é muitíssimo limitativa.

Claro que, com tudo isto, não quero dizer que não devamos todos contribuir para um mundo melhor, mais limpo, mais ordenado e com menos poluição... É claro que nos devemos preocupar! É claro que temos de agir, e depressa! Para o nosso próprio bem!

Apenas questiono a dimensão de tudo isto. Toda esta loucura pelo “Save the Planet” – É que está na moda ser “green”! Ser “green” vende mais, é mediático, é uma excelente arma política… E nos dias que correm…

Em suma, o nosso comportamento pode, realmente, fazer a diferença... mas a Natureza terá sempre também o seu poder e ela será sempre muito mais forte!...

Fica o vídeo de abertura da cimeira...


sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Canções de Natal (e algumas parvoíces!)

O espírito de Natal já aterrou definitivamente por estas bandas. E não digo isto pela decoração lá de casa, certamente, que por lá ainda reina o caos!

Este ano, pela primeira vez na vida, estamos a dia 4 de Dezembro e eu ainda nem fiz a Árvore de Natal, tal é a confusão. E o pior, é que estou com dúvidas se o Pai Natal este ano me irá trazer presentes, já que agora vivo oficialmente “em pecado”!... Vamos lá a ver…

Mas pelo menos, prometo que não me vou esquecer de lhe agradecer o facto de não me ter trazido a prenda que pedi no ano passado! Ufffff... Ainda bem! Afinal, o Pai Natal sabe muito bem o que faz, e mandou-me outra - muito melhor - por correio tão lento que só chegou pelo Carnaval!

Parvoíces à parte, e como isto é um Blogue de música, conto com os vossos contributos e proponho-vos eleger as MELHORES MÚSICAS DE NATAL!...

Deixo-vos com duas sugestões sui generis:

- O inconfundível Billy Idol a cantar "Jingle Bell Rocks"… um espectáculo!

- "Fairytale of New York", pelos The Pogues, que o meu amigo GM me sugeriu no comentário do post de ontem. Um beijinho para ti, G.


Agora, fico à espera das vossas!!!!



quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Modernices "Oh, Oh, Oh"!

O frio, infelizmente já cá mora. Assim como a chuva, o vento, a lama e essas coisas todas que caracterizam o Inverno. Mas esta é a única época do ano em que ainda consigo tolerar todas as vicissitudes da natureza, porque é Natal! E Natal, convenhamos, não vai nada bem com sol e praia, além de que o fato do Pai Natal perderia toda a graça se fosse de manga à cava e em vez de um barrete tivesse um boné!

Aqui no escritório, a árdua tarefa de organizar o já tradicional evento Natalício calha-me a mim, ou não fosse eu a “gaja das festas” cá da casa. E, no desempenho dessa tarefa, tenho andando a ver se descubro uma qualquer actividade verdadeiramente original, porque já não há quem aguente a troca de presentes do “amigo secreto” e essas foleirices todas! (by the way... aceito sugestões...please...)

Mas nada! Não me ocorre nada e, ao invés de descobrir alguma actividade nova, tenho-me debruçado sobre alguns detalhes hilariantes nas tradições de Natal.

Veja-se, por exemplo, a questão das Renas. Toda a gente conhece o Rodolfo com o seu narizinho vermelho, e a maioria de nós nunca questionou o facto do Rodolfo encabeçar uma manada de Renas que voam – a Corredora, a Dançarina, a Empinadora, a Raposa, a Cometa, o Cupido, o Trovão e o Relâmpago - apesar de todos estarmos carecas de saber que as renas não voam! E vai daí, decidi investigar a origem da questão e descobri que a malta da Lapónia, por essa altura, não fumava ganzas mas gostava de comer uns cogumelos malucos!!! E pronto, com o efeito da "moca de natal" até as renas voavam!!!

Descobri também que o Pai Natal é um modernaço!!!! ‘Tá tão à frente que até já tem um site oficial – O Santa Klaus Office – onde se pode fazer a carta em formato digital, entrar em chat com ele, espreitar as webcams ou dar uma “voltinha virtual” à sua residência. Tudo muito Web 2.0!!!!

Para já, fico-me por aqui, não vá deitar por terra a magia do vosso Natal e traumatizar-vos a todos!!!!

E aqui fica a primeira música de Natal deste ano, neste Blogue. Tem mais barbas que o Pai Natal, mas é tãooooo giro relembrá-la!

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Ambiguidade

Há coisas (uma coisa, neste caso) que, peremptoriamente, sei que não quero.

Sei muitíssimo bem o porquê. É racional e, se começar a pesar os prós e os contras, o lado dos contras ganha com larga vantagem.

Mas porque será que, mesmo tendo essa clara consciência de que não quero, a constatação de que não se concretizará me deixou tremendamente triste?

Ambiguidade. É a diferença entre pensar com a cabeça e com o coração…



sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Did you Know?

Somos, cada vez mais, viciados em tecnologia...

Factos inegáveis, os que partilho com vocês neste vídeo, que tem também o contributo de "quem põe o pãozinho na mesa" cá de casa! Sim, que é sempre bom saber que, se nos desse na veneta, poderíamos mudar a Wikipedia de sítio em apenas .001 segundos, com um produto "nosso"! Uauuuu! Isso é velocidade!!!

De qualquer forma, o que é verdadeiramente espantoso é o papel que as novas tecnologias têm na forma como vivemos, trabalhamos, aprendemos ou brincamos!

Este é o mundo globalizado! E este mundo é, definitivamente, um quintal!!!!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

"Obral"

Estou prestes a poder começar a lançar`"piropos de obral" a tudo quanto é moçoilo jeitoso que me passe pela frente!

Pelo menos, já tenho umas botas e umas calças de "fátréno" (leia-se fato-de-treino, mas com pronúncia "pintarolas") todas salpicadas de tinta, imenso pó espalhado por todos os cantos lá de casa, e um estaleiro montado na cozinha.


Já martelei os meus lindos dedinhos umas quantas vezes. E até já aprendi a fazer cimento, por conta de me ter dado na cabeça arrancar uns rodapés com mais anos que eu, e que trouxeram meia parede atrás! (helllooooo!!!! imagine-se uma miuda como eu a fazer cimento!!!!! Nahhh)

E é por causa desta aventura que este Blog tem estado, literalmente, fechado para obras!

Mas vai valer a pena! Vou "juntar os trapinhos" com o meu Amorudo, e o "nosso ninho" pintadinho e arranjadinho por nós, vai ter outro sabor - não é que me importasse que tivessem sido profissionais a arranjá-lo, mas o Budget era curto e não dava para tudo!!!!

Mas, de futuro, obral????? Never again!!!!

E como, ultimamente, a minha vida é só ferramentas... Sledgehammer!!! Ehehehehe


quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Macy Gray

Ontem baldei-me a isto… diz quem foi, que foi um concerto fantástico! Só Good Vibes!

Eu, confesso, tive muita pena. Tinhas os bilhetinhos (oferecidinhos e tudo) mas, à última, o cansaço e a obrigação de hoje ter de chegar ao escritório (muito) mais cedo do que o habitual, falaram mais alto.

Tive mesmo muita pena… mas fica aqui um "cheirinho"...


sexta-feira, 6 de novembro de 2009

... (não sei que título dar a este post)

Que estranho é pensar que tudo pode apagar-se em segundos. E depois? Que sentido faz a vida, se pode escapar-nos das mãos? Que sentido faz esta correria desenfreada. A competição em que vivemos. O que temos, onde chegamos, quem somos… é tudo para nada?

A meio do acto, quando ainda há tanta história por contar, pode apagar-se a luz e fechar-se a cortina. E pura e simplesmente acabou. Sem avisos. Terminou o espectáculo - The End!

Não pode ser assim que tudo acaba! Porque assim, a vida deixa de fazer sentido apenas porque existe a morte.

Quero acreditar que esse final é apenas o começo de algo que está ainda muito para além do nosso entendimento. E que o sofrimento de quem fica é apenas mais uma das provações a que esta vida nos submete… Mas, hoje, a revolta é imensa! Há pessoas que não merecem tamanha cruz, e para quem a vida é mesmo filha da p***...

Ao M., em jeito da despedida que nunca farei, deixo o meu “Adeus, até sempre!”. Á minha grande amiga C., deixo o silêncio de quem sabe que nenhuma palavra será suficiente para amainar a dor. Eu estarei sempre aqui.



quarta-feira, 4 de novembro de 2009

O maior cego, é aquele que não quer ver!

Isto é sabedoria popular. E apenas reforça a ideia de que o ser humano é como as avestruzes: esconde a cabeça na areia pensando que, se não conseguir ver o seu problema, também mais ninguém o verá. E assim ele desaparecerá por si só.

Ora, isto é uma característica muito estúpida, convenhamos. Quando se tem um problema e se esconde a cabeça na areia, o mais provável é que se acabe por sofrer consequências ainda piores que as que se sofreriam ao encará-lo numa fase inicial.

Porque, no início, todos os problemas são apenas pequenas questões a ser resolvidas. Porém, com o correr do tempo, avolumam-se as complicações – pesam todas as ideias que cresceram no silêncio de quem está envolvido, surgem as dúvidas, envolvem-se sentimentos. Tudo somado e inflacionado por esse tempo que não se detém.

Por fim, acaba-se inevitavelmente por levantar a cabeça, observar o que era claro e concluir: “Se calhar eu tenho um problema”…


Nesse momento, já não será só um problema. Será o monstro que criámos!

E agora, divagações à parte, fica uma música antiga com uma roupinha nova!... FAME! Contagiante (quase melhor que o original!) - o filme, ainda não vi...

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Ao meu Amorudo!

Feliz Aniversário!!!

Queria escrever-te um poema,
de amor... forte. Profundo.
Mas faltaram-me as palvras,
Que exprimam o quanto te amo
e a cor que dás ao meu mundo!

Queria escrever-te um poema,
que soe como uma canção.
e deixá-la subtilmente
entre os lençois onde à noite
nos perdemos de paixão!


Queria escever-te um poema,
e dar-te tudo o que desejas.
Falar-te das "borboletas"
que sinto dentro de mim
de cada vez que me beijas!

Queria escrever-te um poema,
intenso, incondicional.
Oferecer-te o meu amor
e entregar-me nos teus braços
neste dia especial!


LOVING YOU IS EASY, CAUSE YOU'RE BEAUTIFUL!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Um dia muito feliz!

Foi isto que desejei hoje ao meu maninho "Espalha Brasas". Ele tem passado momentos dificeis. De coração destroçado. Perdido, com dúvidas e muita hesitação. E este foi, sem dúvida, o seu aniversário mais complicado.

Por isso, desta vez, o desejo de um dia muito feliz foi, talvez, descabido. Também já passei por isso, e sei que este dia foi tudo menos feliz. Mas nós - esta família louca e "alto astral" que lhe calhou na rifa - estamos cá para o animar!

E o que hoje parece um caminho escuro, amanhã estará iluminado e cheio de vida. Porque tudo muda, e as grandes decisões fazem de nós melhores pessoas.

O final de algo, é apenas o mote para o princípio de uma nova aventura. A vida é mesmo assim!

Feliz Aniversário! Força, mano!



terça-feira, 27 de outubro de 2009

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Quando não mudar... é mau!

É muito bom quando as pessoas que nos rodeiam não mudam e podemos sempre saber com o que contamos. Dá-nos a tranquilidade de um porto seguro e, estando a falar do universo das relações humanas, não mudar proporciona-nos uma agradável sensação de estabilidade.

Podemos estar sem ver ou sem falar com alguém por algum tempo e depois, quando se proporciona o reencontro, parece que foi ontem. Eu gosto muito dessa sensação.

Mas recentemente, descobri uma excepção a essa regra - há pessoas que não mudam, e isso também pode ser aborrecido. Só depende da ocasião em que se cruzam no nosso caminho e da condição em que se cruzam.

Eis a história, resumidamente: nas minhas andanças de rapariga solteira que durante algum tempo fui, conheci um homem que, a dada altura, considerei bastante interessante. Não tinha o factor “uau”, é certo, mas é um homem bonito, inteligente, muitíssimo culto e bem sucedido. Ou seja, o que se chamaria de “bom partido”.

Por diversos motivos - que não vou enumerar, mas que ainda bem que aconteceram - deixámos de nos falar ou manter qualquer contacto durante algum (muito) tempo.

Contudo, recentemente, ele resolveu reaparecer e contactar-me (via messenger, entenda-se), e é incrível constatar como a mesma conversa de sempre, com a mesma pessoa de sempre, agora me parece imensamente aborrecida!

Como é possível que ele não tenha evoluído nem um milímetro? Tem os mesmos problemas, as mesmas dúvidas existenciais. Está na mesma etapa da vida, a fazer exactamente o mesmo, no exacto ponto em que estava quando deixámos de falar. Tem as mesmas opiniões, temos as mesmas divergências… E agora, a mesma conversa de “caracácá”, aborrece-me brutalmente!

Nem imaginam a vontade que tenho de lhe dizer “por amor de Deus, cala-te e não me aborreças!”… para depois bloqueá-lo na minha lista de contactos!

Mas enfim, sou uma pessoa educada, e não tenho nada contra o mocinho. Ele vai falando comigo e eu vou respondendo…

… Ai, mas um dia destes….



sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Humor... By mother nature!



A natureza ás vezes é "do caraças"!!!! Imaginem vocês que esta cenourinha foi mesmo apanhada numa horta de alguém que conheço... ehehehehe. Não resisti a partilhar!

Mas... isto é apenas uma cenoura. Tudo o resto é a nossa imaginação!

Bom fim-de-semana! Divirtam-se!


quinta-feira, 22 de outubro de 2009

It's raining again!

Sabem o que vos digo? Já tenho saudades do Verão!

Sim. Eu sei no que estão a pensar: as couves precisam, as vinhas precisam, os bichinhos precisam... Então e eu? Eu cá não preciso!- pelo menos enquanto me lembrar dos magníficos dias de Verão, na minha Sesimbra ou nas ondas da Caparica! Dos almoços nas esplanadas sobre o mar. Dos finais de tarde no petisco. E de poder andar de Havaianas (adoro-as!).

E agora? Chega a chuva. E, com ela, os azelhas que não sabem que não se conduz da mesma forma em piso molhado. E os outros azelhas (os municipais) que não sabem que as sarjetas acumulam lixo, e que este não se vai embora sozinho!

E as notícias das cheias na baixa, como se fosse um furação no México ou um Tsunami na Tailândia!

E chegam as botas (e eu detesto botas). E os casacos, pesados e que nunca sabemos onde guardar. E o ar condicionado no escriório num forno, e depois a rua num gelo...

E pior ainda: chega a noite às seis da tarde!

E eu, como não posso hibernar, vou contar os dias para o Verão!

(e pronto, foi o meu momento de egoísmo do dia!)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

A conquista.

Uma coisa que considero importante numa relação a dois, entre variadíssimas outras coisas de importância não menos pertinente, é a arte de continuar a surpreender o outro, mês após mês, ano após ano.

É difícil. Eu sei. Já passei por um longo casamento, que falhou. Já passei por curtos “pseudo namoros” que não vigaram.

E passo agora pela descoberta de um novo grande amor. Talvez, quem sabe, e no que depender de mim, o amor para o resto da minha vida (agora, é como quem diz - já lá vão sete meses de grande felicidade!)

Aos poucos, começamos “a juntar os trapinhos”, como se costuma dizer. Já não temos idade (e sobretudo, paciência) para namoricos de porta de escada. Daqueles em que cada um vive na sua casa, com os seus hábitos e manias. Daqueles namoros em que ele nos vem buscar para sair, aperaltamo-nos como se fossemos ao baile, e depois ele nos devolve ao fim da noite com uma beijoca repenicada a assemelhar-se ao chamado “marmelanço”, à porta do nosso prédio!

Pois bem, juntemos então os trapinhos! Partilhemos a vida e, com ela, todas as suas rotinas… E é aí que começa a parte difícil – é aí que começa a verdadeira conquista.

Sim, que a conquista pelo “marmelanço” é boa, faz todo o milagre inicial, mas pertence a outro capítulo. A verdadeira conquista faz-se depois de juntar os trapinhos.

Ele passa a ver-nos acordar diariamente com o cabelo desgrenhado e aquelas olheiras (e acreditem que o meu lindo cabelo aos caracóis bate recordes pela manhã!). Passamos a ouvi-lo ressonar, e ele a nós. Ele tem que aguentar o nosso péssimo humor quando chegamos a casa, ao fim de um dia de loucos no escritório, e ainda temos o jantar para fazer. Nós temos de gerir o seu silêncio quando as coisas correram mal no escritório. Temos de viver com os pelos da barba dele que ficam no lavatório, com as garrafas da cervejola e as duas horas de futebol ao domingo. Ele tem de sorrir, mesmo com centenas de cabelos espalhados pelo chão ou um soutien acidentalmente esquecido no bidé… com a maquilhagem, as toalhitas desmaquilhantes, os tampões…

Partilhamos a vida. E partilhamos as camas para fazer, as compras no supermercado, as contas para pagar. Ir buscar a miúda, fazer o jantar. Jantar em família, meter a louça na máquina, preparar tudo para amanhã. Partilhamos também o estado extenuado ao fim do dia.

E, no fim disto tudo, ainda partilhamos a vontade de manter acesa a chama e fazer o outro feliz.

É por isso que agora é que começa a verdadeira conquista. A conquista que se faz nos pequenos gestos do dia-a-dia. Como quando adormeço no sofá e ele me leva até à cama, me tapa e me dá um beijo antes de dormir. Quando me envia poemas lindos pela Internet. Quando me vê sair de manhã, e depois me manda uma mensagem a chamar-me “giraça”. Quanto trocamos SMS românticos, ou outras vezes “marotos” ou mais “picantes”. Conquista-me em todas as vezes que me diz, olhos nos olhos, “amo-te!”.


Esta é a verdadeira conquista! A díficil. E a que quero manter, por todos os dias do resto da nossa vida!


quinta-feira, 15 de outubro de 2009

“Brasucas” ? Pelos vistos, somos (tão maus) como eles!


Mesmo tendo já sido quase apedrejada publicamente em vários formatos - via Internet, entre amigos, em conversas de copa no escritório, etc, etc, etc – continuo a ter a mesma opinião. “Brasucas”? Nós, somos tão maus como eles. Ou pelo menos, tão burros.

Pelos vistos, ao que parece, só eu e o Miguel Sousa Tavares é que continuamos sem perceber que raio de ofensa tão grande é que a Maitê Proença fez ao povo Português (e refiro “ao que parece, o Miguel Sousa Tavares” porque assim mo disseram num comentário de um blogue que frequento, mas ainda não confirmei).

Com isto não quero defendê-la, até porque não tenho qualquer opinião quanto à senhora – nem sequer como actriz, pois nunca na vida acompanhei uma novela. Com isto, pretendo apenas ignorá-la.

Acho deveras lamentável que se dê tamanha notoriedade a uma coisa tão sem interesse. Se todas aquelas parvoíces, que pretendiam ser um programa de humor, fossem ditas por um puto da preparatória, olhava-se para ele de lado e pensava-se “coitado, está na idade parva!”.

Mas não. Foram parvoíces ditas por uma actriz brasileira. Portanto, é quase como um incidente diplomático!

A única reacção que tive depois de ver o vídeo no Youtube, que me chegou num e-mail acompanhado de um rol de disparates sobre a enorme ofensa aos Portugueses, ao Camões e uma “cuspidela na fonte” foi: “Coitada. Continua na idade parva!” e, posto isto, encerrei o assunto na minha cabeça, que tem mais com que se ocupar.

Mas é inevitável voltar a ele, porque depois veio o e-mail de resposta. E de resposta à resposta. E um e-amail de votação… francamente!!!!!

Afinal de contas, parece que somos tão maus (ou piores) que eles. Será que ninguém percebe que a Maitê apenas fez uma figura triste pessoal e nada mais? E a figura que estamos nós a fazer ao dar-lhe tanto interesse? Até aos telejornais ela teve direito!!!!! Será que nos sentimos picados porque no fundo, no fundo, também temos telhados de vidro? Será que é por causa de todas as “graçolas” que sempre fizemos aos Brasileiros (a começar por lhes chamarmos “Brasucas”, para nem referir as piadolas que fazemos publicamente, em anúncios e outras coisas que tais)!

E, para provar isso mesmo, aqui fica a ultima piada brasileira (obrigada ao meu amigo "Pirata" pelo envio do e-mail). Humor de qualidade…. Ehehehehe



E, para terminar, deixo-vos uma MÚSICA BRASILEIRA, de um GRANDE ARTISTA BRASILEIRO, e que até se aplica aqui - pelo menos à ideia com que ficámos da Maitê….


quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A pouco mais de uma hora...

É o "agora ou nunca"...

Eu gostava muito de ver os "nossos meninos" no mundial. Uns mais que outros, é certo. Mas gostava. Nem sei se é o Patriotismo, se é orgulho nacional. Se calhar é porque, como dizia o outro, "o fado é que induca, o futebol é que instrói!"

Seja como for, sigam à Letra a música:

Heróica e lusitana gente vamos em frente mas cumbictamente
Vá la cambada infantes desportistas,
Homens de conquistas
Povo que és o meu!
Bola redonda e onze jogadores
Eem frente sem temores que as tacticas dou eu!

Tragam as gaitas, as bandeiras e a pomada
Bamos dar-lhes uma abada, ensinar-lhes o que é bom
Bamos mostrar a esses escarafunchosos
Por momentos gloriosos
Quem é a nossa seleccõe!

Bamos la cambada,
Todos à molhada
Que isto é futebol total
Deixem-se de tretas,
Força nas canetas,
Que o maior é PORTUGAL!

É atacar agora, e defender para fora
Eles sao toscos, nem dao para aquecer
Suar a camisola e até jogar sem bola
E disfarçar para o arbitro nao ver!

No intervalo, solteiros contra casados,
fandangos, chulas e fados
Para aprenderem como é
Durante o jogo, qualquer caso la surgido
Só pode ser resolvido à cabeçada e ao pontapé !

...


sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Update... para melhor!

Uma semana sem escrever... portanto, devo um "update"!

O tal projecto não se concretizou... Não faz mal! Estou feliz na mesma! Bastou mudar de perspectiva, ver as coisas por outro prisma e perceber que tinha muito mais a ganhar assim.

Portanto, muda-se a estratégia e mãos à obra!

Ainda por cima hoje é sexta! O sol vem aí! E eu estou muito apaixonada (cada vez mais!)

Amorudo!... és fantástico!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Optimista...

Xiça!!! (perdoem-me o termo, mas confesso que até me apetecia usar um pior!). Ontem estava mesmo mal!... Nem parecia eu, como me disseram as minhas meninas. Mas os miminhos do meu Amorudo fazem milagres, e cá estou eu de volta a todo o gás!

Além disso, eu nem sou mulher de maus humores ou depressões. Mas, às vezes, a nossa paciência esgota-se. E ainda por cima ando com alguma ansiedade, à espera de respostas num projecto pessoal...

Hoje, ao contrário de ontem e depois dos tais miminhos e de uma noite bem dormida, estou optimista.

Tudo tem, realmente, um lado positivo. Se não avançar esse projecto - coisa que nem se equaciona, porque eu acredito que o merecemos, e que "lá em cima" tudo joga a nosso favor - tudo será fantástico na mesma! Porque há alternativas! Porque basta querermos! ...E porque estamos juntos!

I believe I (we) can fly!!!!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

I'm not in the mood....

Hoje sinto-me assim! Nem pareço eu!
Não sei bem porquê mas, ao mesmo tempo, sei perfeitamente. É um misto de cansaço, ansiedade e inseguranças... Provoca-me tristeza, alguma intolerância à estupidez alheia (que parecia estar especialmente em alta, hoje) e uma enoooooorme dor nos ombros.

E tenho estado todo o dia para aqui indecisa, entre a vontade de partir para violência, ou esconder-me do mundo num cantinho escuro que ninguém conheça, e ficar por lá até que me passe.

Mas não!... Vou resolver este assunto com uma dose extra de miminhos :-)......... vou já tratar disso!...


segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Parabéns Princesa!!!!

Não. Não me apetece falar de eleições, de quem ganhou ou de quem perdeu. Nem mesmo da enorme percentagem de abstenções, que apenas revela a corja acéfalos que constituem este país. Para esses deixo apenas uma frase: "depois, não se queixem!!!!"

Enfim, hoje não estou para políticas nem para comentários pseudo-intelectuais!

Hoje quero apenas deixar o maior beijo de Parabéns do mundo à minha "Piolha" maior! Á "Traquinas", como o papá (babado) lhe chama.

Ahhh, 16 Anos!... Quando olho para ti, revejo os meus próprios 16 anos. Tanta loucura, tanta descoberta, tanta maluquice! Os amigos, as "borgas"... tudo vivido a mil!

Por isso, hoje desejo que tenhas um dia muito bom, cheio de coisas boas e divertido. E o que mais desejo para o teu futuro é que te venhas a tornar numa mulher muito feliz e realizada!

Aproveita esta fantástica fase da tua vida, minha princesa - os teus 16 aninhos!!!! Nós cá estaremos sempre para te apoiar, porque acima de tudo e apesar da distância, nós adoramos-te!!!

E, em vez da "batida" música dos Parabéns, aqui fica uma de que gostamos as duas!!!!


quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Puxa-saco

Nunca serei ninguém. Ou melhor, nunca subirei muito na minha carreira. E, por vezes, isso deprime-me. Faz-me sentir que não pertenço a este mundo em que vivo!... Mas passa-me logo!!!

Não porque não tenha as capacidades necessárias para tal - modéstia à parte, sou bastante profissional, competitiva e… sei muito disto! Valorizo a formação, a partilha de conhecimentos e a inovação como formas de enriquecimento pessoal e profissional.

Mas, ainda assim, sei que nunca serei ninguém por aqui. Porque não sei viver de vender a minha imagem - irónico, para quem trabalha em comunicação e r.p.! Não sei viver de relacionamentos de conveniência. De dar graxa publicamente a quem mais convém (mesmo que o considere um palhaço!). Não sei viver de gerir interesses, apenas para subir. Não sei viver de aparências. E muito menos de fretes!

Ou melhor, sei mas não consigo. E sei que isso é uma opção minha. Podia fazê-lo, e até nem vejo nada de errado nisso. É apenas uma opção, senão vejamos: eu, e os outros 15 mil empregados da minha empresa (só na minha região) recebemos um e-mail do director a dizer que o fulano tal (chefe de alguma coisa na minha área) foi promovido ou atingiu este ou aquele objectivo e está a ser reconhecido por isso. Eu tenho duas opções: ou penso "boa para ele, é um fulano competente e merece" e fico-me por aí; ou armo-me em “Puxa Saco”. Caso seja esta última a opção da minha escolha, clico de imediato no “Reply to All” – é importante que seja “to all”, para tornar a minha graxa pública – e elaboro um daqueles entusiásticos e-mails de “puxa saco” - qualquer coisa do tipo “Great! Terrific!!! Well done!!! Your work has been fantastic!… blá, blá, blá” – e aproveito para acrescentar em “cc” todos os gajos importantes cá do sítio, para garantir que não falhe.

E assim, sempre que circula um e-mail de reconhecimento/felicitação nesta casa, seguem-se 200 e-mails de “puxa-saco” que nos inundam a mailbox e que servem apenas os propósitos de crescimento de quem os enviou.

E mais. As pessoas que enviam estes e-mails são as mesmas que vão religiosamente almoçar apenas com quem interessa – mesmo que nem sequer sorriam durante o almoço, não possam dizer um disparate ou uma piada, não falem de assuntos banais. São aqueles que telefonam aos “influentes” para agradecer o envio de uma documentação (que até seguiu para outros 1000 funcionários). Que fingem trabalhar durante o dia e depois respondem aos mails às onze da noite.

E resulta???.... Oh, se RESULTA!!!!!!!

Portanto, se nunca vou ser ninguém por aqui, é mesmo só porque não quero! Porque gosto de ter uma vida pessoal e não ter de ver mail às onze da noite para impressionar. Porque gosto de almoçar com a malta do costume, e divertir-me com as parvoíces que dizemos. E porque, acima de tudo, não tenho feitio para dar graxa a ninguém.

Faço o que gosto. Tenho trabalho, e sou feliz. E a vida do Director-Geral, obrigadinha, mas não a quero!



quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A arte da Tatoo


Jamais faria uma. Em primeiro lugar porque tenho medo - eu diria mesmo pavôr - de agulhas. E depois, porque não tem nada a ver com o meu estilo - se é que se pode dizer que tenho estilo! ehehehe.

Mas gosto muito de ver. Não é necessário ser uma coisa enorme, nem tampouco gosto de ver um fulano todo desenhadinho, que sempre ouvi dizer que o que é demais enjoa!...

Acima de tudo, o que mais admiro nesse mundo das Tatoos, é o enorme talento e o sentido estético que o Tatuador deve ter.

Um grande, grande, amigo meu é Tatuador profissional - é assim tipo os do Miami Ink... é muuuuuuito bom! E ontem criou esta fantástica obra de arte!!!

Ainda não está terminada, e os quilos de pomada que tinha em cima faziam reflexo. Mas está liiiiinnnnnnnnnnda! Brutal!!!!


Ah, já agora, vou utilizar este blogue como ferramenta para ajudar o negócio do meu amigo! Eheheheh, se quiserem uma Tatuagem ao estilo Miami Ink, digam... usem o mailzinho do perfil...

E aqui fica Scorpion... "You and I! We have a dream!..." (ah, e a falta do "s" foi propositada, porque me refiro ao scorpion, e não aos Scorpions! Ehehehehe)

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Coisas de quem está "de molho"

Mayday! Mayday!... Escritório em "alerta laranja"!!!! ... A Teresa está com dores de garganta e com febre! Só faltou ligarem a sirene e vestirem todos um fato especial. Ás tantas, até já eu começava a ter medo de estar ao pé de mim, não fosse ter mesmo Gripe-A.

Mas o facto é que fui atacada por uma violenta amigdalite, que se desenvolveu galopantemente na minha linda gargantinha desde o fim de semana e que ontem acabou por me deixar de molho, enfrascadíssima em comprimidos.

Ora, hoje, depois de aliviadas a febre e o mau estar matinais com o belo do ben-u-ron, eis-me sem companhia e sem nada para fazer (ok, podia dedicar-me à lida doméstica, que há sempre qualquer coisinha para fazer, mas deixem lá isso!). E, sem feitio para estar na cama a avaliar para as imperfeições do tecto, decidi-me por vir aqui "dar ao dedo" e partilhar convosco algumas questões pertinentes:

- Porque é que só há duas opções de antibiótico???
Ou é um xarope grosso e nojento que nos empurra para o vómito e nos tortura, ou é um comprimido tão grande que até parece que estamos a tentar engolir uma bola de ténis! Será que os farmacêuticos que os desenvolvem não os tomam? Ou serão de tal maneira sádicos que se divertem a imaginar a figura de alguém com uma amigdalite como a minha a tentar engolir aquele monstro???

- Será que ser atendida em 18 minutos no Hospital Amadora-Sintra me permite entrar para o World Guiness Book of Records????
É que ontem, desde que fiz a minha inscrição até que saí pela porta devidamente atendidinha, decorreram apenas 18 minutos!!!! Unbelievable!!! 18 minutos bem contadinhos... E porquê?? Porque existe uma coisa que funciona mesmo, chamada triagem. E enquanto havia uma interminável fila de gente em espera para os vários clínicos gerais e demais médicos de serviço, eu fui alegrar o dia do Otorrino de Serviço nas Urgências. E não é que parece que o senhor estava mesmo à minha espera. Não tinha nenhm freguês para atender. Se não fosse eu e as minhas amígdalas, o coitado do senhor tinha morrido de tédio!

- Será que ainda há gente que acha que é melhor para uma criança viver institucionalizada do que ser adoptado por um casal homosexual?
Pelos vistos, o Governo Ucraniano não permitiu ao cantor Elton John adoptar o bébé ucraniano de pouco mais de um ano que conquistou recentemente o coração do cantor. A criança nasceu seropositiva e é orfã. Portanto, uma criança que, à partida, terá um futuro muito pouco risonho... É que não há por aí muitas famílias que queiram adoptar crianças doentes!!! E, ainda assim, o gorverno apreciou negativamente a adopção, com base em dois argumentos:
a) Elton John é muito velho - 62 anos... ok, novo ele não é! Com algum esforço, até posso tentar compreender essa posição, no entanto, o seu companheiro tem apenas 47...
b) Não se trata de um casal tradicional!! E é esta parte que me deixa "furiosa". Como é possível negar a uma criança o acesso a alguma felicidade, mesmo que seja dentro de parâmetros pouco convencionais, quando a única certeza que tem na vida é a solidão, a rejeição e a doença.
O preconceito humano revolta-me! revolta-me tanto, tanto!!!! Amor é a coisa mais importante no desenvolvimento de uma criança. Seja lá de pai e mãe, ou de dois pais. As crianças, desde que se sintam felizes, adaptam-se.... e não têm preconceitos!

E para terminar, uma homenagem. A um actor / cantor / bailarino que fez as delícias das adolescentes do meu tempo. Que nos marcou e nos fez sonhar. No Ghost, ou no Dirty Dancing. Morreu hoje. Lutou o mais que pode contra essa grande epidemia dos nossos dias - o cancro. Deixou este mundo, mas deixa por cá a sua marca. Aqui fica ela:


sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Ainda sobre a Liberdade

Inspirada pela minha amiga “Sininho” e por um “animado” debate, acabei por me debruçar hoje um pouco mais sobre um assunto.

A questão era a liberdade de expressão, e transpunha-se o conceito para a nossa vidinha quotidiana - como somos, como nos comportamos, e como é encarada hoje em dia a liberdade de expressão nos diversos ambientes – no laboral, no núcleo de amigos, na família, ou até na blogosfera.

A opinião generalizada é de que se vive hoje em dia numa espécie de “opressão”, em que as pessoas acabam por não expressar as suas ideias e opiniões pressionadas pelo líderes de opinião ou políticos, pelos seus superiores hierárquicos, pela sociedade e pela comunidade em que se inserem. No trabalho, por exemplo, têm o receio de ser despedidos ou postos à margem.

Ora, isto era a opinião generalizada… mas não é a minha opinião!

Para mim, dizer tudo o que nos passa pela cabeça e tudo o que nos apetece não é exercer Liberdade de Expressão. É ser burro!

Como se costuma dizer, "a minha liberdade termina onde começa a dos outros". Eu tento ter isso sempre em mente, e quero acreditar que o que se passa hoje em dia não se trata de "opressão" mas sim de "opção" - nós escolhemos não dizer o que realmente pensamos, o que nos apetece ou vai na cabeça.

E acho que escolhemos fazê-lo apenas porque nos convém. Porque poderemos tirar melhor partido disso, porque não queremos melindrar alguém, ou porque simplesmente não queremos ser confrontados ou assumir/enfrentar as consequências.

Mas, acima de tudo, acho que é uma opção. Não existe nenhum bicho-papão que nos persiga. O tempo da PIDE já lá vai e, graças a Deus, a nossa geração nem sequer sabe do que se trata (e as posteriores ainda menos).

Nós já nascemos numa época em que a Liberdade é mais que muita, conduzindo em muitos casos à cretinice e à desinformação. Basta olhar-se para as verdadeiras “palhaçadas” nos debates políticos, para as notícias sensacionalistas que abrem os noticiários, para o número de revistas cor-de-rosa que se vendem. Ou, saindo do plano dos meios de comunicação, basta reflectir sobre a forma como os alunos falam com os professores hoje em dia, ou mesmo como muitos filhos falam com os pais. A liberdade de expressão é, nos dias que correm, um direito do qual se usa e abusa, e que serve de desculpa para as atitudes mais descabidas.

Eu, pessoalmente, assumo que nem sempre digo o que penso!... Há mesmo muitas coisas que escolho não dizer, ou situações em que prefiro “dourar a pílula”, pura e simplesmente porque considero que essa é, no momento, a opção mais sensata.

Mas atenção! Lá por não dizer sempre tudo aquilo que penso, (e isto é fundamental) não quer dizer que alguma vez diga o que não penso!!!!

... isto tudo é apenas “a meu ver”!!! (expressão gentilmente “gamada” à Sininho)!!!!


E agora... I'm Free! (g'anda malha!)

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

A Liberdade pós 25 de Abril... Diferenças 1978-2008

Não poderia deixar de partilhar um "e-mail" que recebi...

A Liberdade pós 25 de Abril... Diferenças 1978-2008

SITUAÇÃO: O fim das férias.
Ano 1978: Depois de passar 15 dias com a família numa caravana puxada por um Fiat 600 pela costa de Portugal, terminam as férias. No dia seguinte vai-se trabalhar.
Ano 2008: Depois de voltar com a família de Cancún de uma viagem com tudo pago, terminam as férias. As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão, seborreia e caganeira.

SITUAÇÃO: Chega o dia de mudança de horário de Verão para Inverno.
Ano 1978: Não se passa nada.
Ano 2008: As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão e caganeira.

SITUAÇÃO: O Pedro está a pensar ir até ao monte depois das aulas, assim que entra no colégio mostra uma navalha ao João, com a qual espera poder fazer uma fisga.
Ano 1978: O director da escola vê, pergunta-lhe onde se vendem, mostra-lhe a sua, que é mais antiga, mas que também é boa.
Ano 2008: A escola é encerrada, chamam a Polícia Judiciária e levam o Pedro para um reformatório. A SIC e a TVI apresentam os telejornais desde a porta da escola.

SITUAÇÃO: O Carlos e o Quim trocam uns socos no fim das aulas.
Ano 1978: Os companheiros animam a luta, o Carlos ganha. Dão as mãos e acabam por ir juntos jogar matrecos.
Ano 2008: A escola é encerrada. A SIC proclama o mês anti-violência escolar. O Jornal de Notícias faz uma capa inteira dedicada ao tema, e a TVI insiste em colocar a Manuela Moura Guedes à porta da escola a apresentar o telejornal,mesmo debaixo de chuva.

SITUAÇÃO: O Jaime não pára quieto nas aulas, interrompe e incomoda os colegas.

Ano 1978: Mandam o Jaime ir falar com o Director, e este dá-lhe uma bronca de todo o tamanho. O Jaime volta à aula, senta-se em silêncio e não interrompe mais.
Ano 2008: Administram ao Jaime umas valentes doses de Ritalina. O Jaime parece um zombie. A escola recebe um apoio financeiro por terem um aluno incapacitado.

SITUAÇÃO: O Luis parte o vidro dum carro no bairro dele. O pai espeta-lhe uma valente tareia.
Ano 1978: O Luis tem mais cuidado da próxima vez. Cresce normalmente, vai para a universidade e converte-se num homem de negócios bem sucedido.
Ano 2008: Prendem o pai do Luís por maus tratos a menores. Sem a figura paterna, o Luís junta-se a um gang de rua. Os psicólogos convencem a sua irmã de que o pai também a maltrata e metem-no na cadeia para sempre. A mãe do Luís começa a namorar com o psicólogo. O programa da Fátima Lopes mantém durante meses o caso em estudo, bem como o Você na TV do Manuel Luís Goucha.

SITUAÇÃO: O Zézinho cai enquanto praticava atletismo, arranha um joelho. A sua professora Maria encontra-o sentado na berma da pista a chorar. Maria abraça-o para o consolar.
Ano 1978: Passado pouco tempo, o Zézinho sente-se melhor e continua a correr.
Ano 2008: Maria é acusada de perversão de menores e vai para o desemprego. Confronta-se com 3 anos de prisão. O Zézinho passa 5 anos a saltar de terapia em terapia. Os seus pais processam a escola por negligência e a Maria por trauma emocional, ganhando ambos os processos. Maria, no desemprego e cheia de dívidas, suicida-se atirando-se de um prédio. Ao aterrar, cai em cima de um carro, mas antes ainda parte uma varanda com o corpo. O dono do carro e do apartamento processam os familiares da Maria por destruição de propriedade. Ganham. A SIC e a TVI produzem um filme baseado neste caso.

SITUAÇÃO: Um menino branco e um menino negro andam à batatada por um ter chamado 'chocolate' ao outro.
Ano 1978: Depois de uns socos esquivos, levantam-se e vai cada um para sua casa. Amanhã são colegas.
Ano 2008: A TVI envia os seus melhores correspondentes. A SIC prepara uma grande reportagem, dessas com investigadores que passam dias no colégio a averiguar factos. Emitem-se programas documentários sobre jovens problemáticos e ódio racial. A juventude Skinhead finge revolucionar-se a respeito disto. O governo oferece um apartamento à família do miúdo negro.

SITUAÇÃO: Fazias uma asneira na sala de aula.
Ano 1978:O professor espetava-te duas valentes reguadas bem merecidas. Ao chegar a casa o teu pai dava-te mais duas porque 'alguma deves ter feito'
Ano 2008: Tu fazes a asneira... o professor pede-te desculpa. O teu pai culpa-se e para minimizar, compra-te uma Playstation 3.

.. Ó tempo, volta para trás!!!!!


sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Pronto, agora já não quero votar nele!...

...No Sócrates, é claro!!!

Sim, tudo por causa da "Bocarra Grande" e do Jornal de Sexta da TVI - esse fantástico canal televisivo em que os noticiários conseguem ser (quase) tão maus como as infindáveis telenovelas!!

É que eu ainda tive esperança!... mas afinal, uma decisãozinha tão bem tomada, e nem foi obra dele???? Óhhh Sócrates! Até fiquei desapontada! É que, acabar com a feira da "Bocarra", era uma boa razão para votar!

Bom, agora fora de brincadeiras: tratando-se ou não, à luz da nossa legislação, de uma decisão ilegitima da administração do canal, o certo é que é totalmente descabido associar-se ao envolvimento do nosso Primeiro. Até porque, nesta altura do campeonato, este assunto só poderia ser-lhe prejudicial!...Mas enfim, há sempre umas quantas cabecinhas pensadoras e há sempre uns quantos que lucram...

Mas isto é apenas a minha opinião, e vale o que vale!

Ó Manuela, why don't you get a job???


quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A família a aumentar!


E cá está ele! O novo elemento da nossa família!

Chama-se Pantufa... Foi a "Piolha" que lhe pôs o nome, que por mim chamava-se Zorro ou Zé-Gato, mas enfim. A "Piolha" teve um rasgo de originalidade e agora não há quem a convença de outro nome!

O Pantufa tem dois meses e meio, é muito fofinho, brincalhão e muito, muito maricas (mas suspeito que por cá, essa mariquice vai piorar!).

E não é que tem bom gosto, o gato?! É que, apesar da "Piolha" querer ser a dona do bichano, a escolha dele recaiu desde o primeiro olhar sobre o meu "Amorudo"!.... Ai, como eu o compreendo!!!!!! Ehehehehe

E pronto... como banda sonora, um regresso à minha infância, e a uma série de que ainda hoje me lembro...
... Tipo "CSI à Portuguesa"!!! "Quem és tu Zé Gato?"

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O melhor destes 37 anos, são sem dúvida os meus amigos!

I'm turning 37, today!!....

O corpo não é igual. Ganhei muito em experiência e alguma coisita em quilos. Ganhei algumas rugas e, felizmente, quase nenhuns cabelos brancos. Ganhei muitas alegrias e outras tantas tristezas! E perdi a minha mãe – a quem devo a maior fatia daquilo que fui sendo ao longo da vida.

Nunca ganhei ao jogo, mas sem dúvida, ganhei ao Amor!!!

Por isso, hoje, não sou eu que estou de Parabéns. São todos os que fazem de mim o que sou!

Está de Parabéns toda a minha família. O meu pai – sem sombra de dúvida, o melhor Pai do mundo e que, com todos os defeitos e as suas muitas virtudes, é o meu modelo de vida! Os meus irmãos, que amo profundamente! Aliás, nem sei viver sem eles: sem as parvoíces e sentido de humor do S... ou sem os permanentes protestos e refilices do N, que contrastam com o seu enorme coração. Ou sem as maluquices e os miminhos do “caçula” D, na loucura dos seus 24 aninhos!

Estão de Parabéns todos os meus amigos. Porque todos são tão especiais, que transformam sempre este dia numa coisa lamechas e sentimental (...mas linda!).


Amigos de longa data - alguns por quase 37 anos! Muito em especial, a Sof (D. Rosa, entre nós), que agora também se tornou em família, desde que lhe “agarrei” o primo!… E a Pat ou a Kris, que estão sempre “aqui dentro”, mesmo que não falemos tanto quando gostávamos.

E amigos mais ou menos recentes, mas nem por isso menos importantes ou especiais, como a “Mustus”, a "Silvy", o João, a “Sininho”, ou o “Cannigia”... que acabam sempre por me comover nestas alturas!

E eu poderia deixar aqui uma música de Parabéns, mas é a vocês todos sem excepção, que hoje dedico o meu “miminho musical”!




Ahhhhh.... e, revelo-vos em primeira mão, os melhores presentes que recebi neste aniversário:

- O amor "mágico" do meu Amorudo. É que é meeeeeesmo mágico!!! Faz de mim a aniversariante mais feliz do mundo!

- Os Parabéns vindos da minha Piolha!... Ela está de férias com o pai, e eu estou morta de saudades dela... e foi o primeiro telefonema do dia, com muita emoção!


- Os Parabéns vindos da minha outra Pirralha (a filhota do meu Amorudo), pouco passava da meia-noite! É uma miuda fantástica, que me faz lembrar o que eu era quando tinha 15 anos!... Ela conquistou-me, definitivamente!

terça-feira, 25 de agosto de 2009

A penny for your thoughts

Foi esta expressão num blogue amigo, que me fez lembrar desta música!... É que sempre que ouço esta expressão, lembro-me dela. E o post do Mak nem tinha nada a ver.

Mas não resisto em partilhar convosco. Adoro este som! É o tal poder de "transporte" que a música tem para mim, e que me faz viajar através das minhas memórias e me faz reviver momentos especiais da minha vida.

Há pouco mais de um ano, estiveram por cá, os Marillion. Foi no Lisbon Calling 2008. Nesse dia, não tive oportunidade de os ver, pois eles abriram o concerto mas eu cheguei tarde. No entanto, nem por isso tive pena... É que os Marillion perderam a sua magia quando perderam o seu vocalista - o inimitável Fish.

Aqui fica uma das mais fantásticas baladas dos meus tempos de adolescente. Lavender.



sexta-feira, 21 de agosto de 2009

… E por falar em Ginásio

Eu adoro ir ao ginásio! Principalmente logo de manhã, para começar bem o dia.

Mas não gosto de aulas feitas à maluca com a malta toda aos saltos a fazer figura de descoordenados, com um monitor aos gritos que me enlouquecem. Ou daquelas em que parece que estamos todos a bater no ar – soco daqui, pontapé dali. Nem tampouco de máquinas doidas que nos fazem ganhar músculos ou trabalhar isto ou aquilo…

Gosto da passadeira!

Gosto de entrar no ginásio logo de manhã com o MP3 a bombar músicas cheias de ritmo, colocar a passadeira numa marcha acelerada e alguma inclinação (sem correr, que eu detesto correr) e pronto. Aí vai ela!

Abstraio-me do mundo durante 30 a 40 minutos, faço uns quilómetros (mais ou menos três ou quatro, dependendo do tempo que lá fique), queimo umas calorias. E sempre a seguir o ritmo da música, que eu não vivo sem ela! Não penso em nada. É muito relaxante. Depois, a muito esforço (e confesso que a maior parte das vezes me baldo) faço quatro séries de abdominais.

Sim, eu sei que para fazer apenas passadeira – ou seja, apenas caminhar – escusava de pagar um ginásio. Mas sei também que é assim que gosto! Maluca? Eu?? Sim, tenho alguma pancada!

E aqui fica uma das músicas que anima as minhas caminhadas!... é só seguir o ritmo!

Madonna - 4 Minutes

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Operação "Barriga-Killer"


Sinto-me assim (incluindo o bom humor à beira-mar)! O Verão é uma coisa f… ups!... Lixada!

Andei eu meses a fio (quase um ano, seguramente) a esforçar-me para perder os 15 quilinhos extra que “embelezavam” a minha silhueta há dois anos atrás, e agora, em pouco mais de três meses, estraguei tudo!

Pois é, entre Julho de 2007 e Abril de 2008 recuperei os meus 56 quilinhos, depois de um dia olhar para as minhas fotos de verão em bikini e pensar: “Meu Deus, sou uma foca!”

…E pronto, meti mãos à obra: adoptei alguns cuidados na alimentação, comecei a beber muita aguinha, e a fazer diariamente 30 minutinhos de marcha e uns quantos abdominais. Não foi nada drástico… mas aos poucos, fui recuperando a imagem que sempre me orgulhei de ter.

Agora, em pouco mais de três meses, ganhei quase metade do que perdi em dez! Não sei ao certo quantos quilos, mas o “bidon” que surgiu na minha cintura e no respectivo bum-bum não deixa margem para grandes dúvidas – estou novamente a aproximar-me da foca!

Ok, foi a época alta do caracol, do petisco e da cervejola, já para não falar nas loucuras da minha Sesimbra: bolas com creme na praia, farturas e waffles junto ao forte, gelados em buffet…

Mas agora, com o fim do Verão, está decidido: começou a Operação “barriga-killer”! Lá vem o ginásio, os cortes nos bolinhos, e tudo o mais.

Aposto o que quiserem que no Natal estarei outra vez no meu melhor!!!!


Pareço eu....

Sendo marketeer de formação e profissão, não resisito a um bom anúncio. Sou daquelas pessoas que gosta de ver boa publicidade - não, não se trata da injecção de 15 minutos de anúncios, na sua maioria ridículos, com que nos brinda a TVI ou a SIC entre cada programa!!! Eu gosto de ver é boa publicidade!

E gosto deste anúncio, em especial. Pareço mesmo eu, no "antes e depois" de conhecer o meu Amorudo...

Ainda bem que nunca pedi a ninguém que me batesse, ou estaria toda negra e rodeada de sacos de gelo!

O amor é lindo!... e demonstrá-lo, mais do que "piroso" pode ser ainda mais lindo!!!! E nunca é demais!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

TPM

Tenho para mim que o TPM é como o álcool. Isto, porque temos a estranha tendência para deixar aflorar o que de mais recôndito existe nas nossas cabecinhas de mulher.

É como se ficássemos “sem filtro”. Para o bem, e para o mal! É como quando se apanha uma valente piela, e se começa a beijar tudo o que é amigo, a dizer-lhes que os amamos de lágrima ao canto do olho. Ou, ao invés, se arma a maior barraca só porque aquele gajo que foi nosso colega de escola, e de quem nunca gostámos, olhou para nós.

Quanto o TPM ataca, sentimo-nos péssimas porque temos plena consciência dele e dos seus efeitos – ok, inicialmente, com o álcool não é bem assim - mas não conseguimos combatê-lo.

E é quando ouço (ou digo) aquela expressão mágica “Deixa lá, é do TPM!”, que me questiono. Sim, é do TPM, é certo. Mas é real. O TPM não põe coisas na minha cabeça! As minhas inseguranças não existem por causa do TPM. Existem porque, na verdade, as tenho. Escondo-as, mas tenho-as. Domino-as, mas existem lá no fundo. E são as minhas inseguranças que tenho de combater, e não o TPM.

Assusta-me errar e perder quem amo. Assusta-me o silêncio. Assusta-me a mudança... mas também me assusta a rotina. Assusta-me o futuro, mas é o futuro que mais quero construir. Assusta-me envelhecer. Assusta-me olhar para o espelho e ver que já não está lá a mesma miúda de 25 anos e 50 quilos. Assustam-me as mudanças no meu corpo, as rugas, a doença – e não é só a minha.

Não sou diferente da maioria das mulheres. Tenho inseguranças que, no fundo, nem sequer têm razão de ser. Mas só saem cá para fora uma vez por mês… depois, voltam para o fundo do baú da minha consciência. São só minhas.

E os homens??? Sim... os homens também têm inseguranças! Só que os homens não têm TPM!… Os Sortudos!!!


Man, I feel like a woman!

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O prometido, é devido...

Portanto, e como hoje é dia 17 de Agosto, cá estou eu de volta!

Para já estou a colocar o mail em dia, e a aproveitar este regresso nas calmas para actualizar a minha "cultura bloguista" - que é como quem diz, navegar por aí e actualizar-me na leitura dos meus blogues favoritos.

Quanto às férias, posso adiantar-vos uma coisa: como diz o Brian, "Those were the best days of my life"!!!!

Foram fantásticas e inesquecíveis. As primeiras com o meu "Amorudo", e com as duas "Pirralhas" mais lindas do mundo. E, claro, muita praia e muito sol!...


Sou uma sortuda!!!


segunda-feira, 27 de julho de 2009

Hasta la vista, baby!!!


Até ao dia 17 de Agosto... estarei algures por ali. A banhos, a passear na marginal, a comer aquelas maravilhosas farturas e as fantásticas bolas de berlim da praia. E muita "sardine on carbon"!!!!
Portanto, esqueçam os meus comments, as minhas visitas, os meus posts... Se passar por aqui será de fugida, pois não tenho a menor intenção de me lembrar da existência uma coisa chamada World Wide Web, mais conhecida pelo "dábliu, dábliu, dábliu"!
I'll be back!


quinta-feira, 23 de julho de 2009

22 de Julho de 1939

Teriam sido ontem 70 anos, se tivesses continuado a partilhar connosco este mundo que sempre foi tão cruel contigo. Mas foi melhor assim. Foi menor o sofrimento. O teu, principalmente.

Não completaste os 70 anos, mas acabou-se a tua já longa dor.

Ontem, pensei em ti vezes sem conta, mas não conseguia escrever nada. E depois do tanto que já escrevi sobre ti aqui, ou aqui, e das tantas vezes em que te referi neste blogue, resta-me dizer-te que tenho tantas saudades tuas!

Sinto a tua falta todos os dias. Queria poder partilhar contigo os momentos de imensa alegria que tenho vivido ao lado de um grande amor - e nem imaginas as vezes que já pensei que irias gostar dele (e ele de ti, certamente). Tenho pena de ver a minha "Piolha" crescer, sem que tu o acompanhes. Tenho pena de já não poder ligar-te para ouvir a tua voz.

Mas a vida é mesmo assim. E, dentro de mim, vais estar para sempre viva!

Por isso, onde quer que estejas (e sei que me vês e me sentes): FELIZ ANIVERSÁRIO, MÃE!

Aqui fica a "tua" música... A "nossa" Pedra Filosofal, que ouvimos juntas em tantas tardes da minha infância e que tantas recordações tuas me trás!

sexta-feira, 17 de julho de 2009

A tradição já não é o que era!... ou "Onde andam os caracóis?"... ou "Eusébio Hoje!"

Confusos??? Um título assim, que à primeira vista nada quer dizer, deve-se apenas ao facto de me apetecer escrever sobre dois assuntos que nada têm em comum.

Pois é. Como não poderia deixar de ser, ontem ao final da tarde eu e a minha grande e inseparável amiga de todos os tempos (e agora também prima), a Sof - que para mim, será sempre a D. Rosa - decidimo-nos pelo nosso final de tarde favorito: uma caracolada!

Mas estava difícil!!! No "sítio do costume", já não havia. Na colectividade também não. No snack das Piscinas, muito menos... aliás, parecia que não havia caracóis em nenhum café daquele malfadado (e mal-afamado) bairro onde tanto gostamos de morar. E eis que demos por nós num cafézinho em que eu já não entrava há mais de dez anos.

Por lá, os petiscos sempre foram bons, e os caracolitos de ontem não foram excepção. Mas a tradição já não é o que era! Lembro-me de, quando era miúda, esse café reunir imensa gente nos finais das tardes de verão. Era uma esplanada meio improvisada na calçada da praceta, e juntavam-se ali os pais com os miúdos. Os pais refrescavam-se a beber umas imperiais (uns mais que outros, é certo) e a comer uns petiscos... enquantos nós, os miúdos, brincávamos à vontade na praceta, até irmos para casa "direitinhos para a banheira", tal era o estado em que chegavam as nossas pernas e pés.

Agora, a praceta é apenas um parque de estacionamento, e o café foi alvo de remodelações. Está mais bonito, mais moderno. Mas já não tem a tal esplanada improvisada. E nem é por isso que a tradição já não é o que era. É porque já não há crianças a brincar na rua. Nem pais na conversa, a conviver e a beber as imperiais ao final da tarde. Hoje, há apenas pessoas que correm. Que estacionam e entram nos prédios a correr. E que não cumprimentam o vizinho, nem tampouco se tratam pelo nome.

Ainda assim, estamos na Damaia. E na Damaia continua a haver ainda algum espírito de bairro. Na Damaia as pessoas até se conhecem... mas não é nada como nos tempos em que eu brincava na rua!

...

Algumas horas depois da caracolada, e ainda com a D. Rosa por companhia (e nessa altura também com o meu "lindo Amorudo") estivemos a rever a paródia que Os Contemporâneos fizeram há dias. E não podia deixar de a partilhar aqui.

Por um lado, nunca gostei da Amália (e escusam de me "bater", pois gostos não se discutem!), e por outro nunca fui grande fã dos The Gift.

E, mesmo considerando que o projecto Amália Hoje foge dos registos, quer da Amália, quer dos The Gift, para dar uma nova roupagem a fados que na sua essência são excelentes, o facto é que já não há quem aguente! É que a rádio em Portugal mata qualquer projecto de valor, apenas pela verdadeira injecção que nos dão de uma única música. Esta (A Gaivota) passa tantas, tantas, tantas vezes, que até enjoa!

De qualquer forma, não pude deixar de achar brilhante a paródia d'Os Contemporâneos - "Eusébio Hoje"

E aqui vos deixo um momento de grande humor!!!!

sexta-feira, 3 de julho de 2009

De cabeça quente... e "enfeitada"!!!!

Ora aqui está um grande exemplo de que as coisas, quando são feitas de cabeça quente, dão mau resultado!

Por vezes, e por muito que nos custe, temos de controlar os nossos ímpetos e os nossos acessos de fúria - seja ela justificada ou nem por isso.

E olhem que sei do que falo!!! Ainda anteontem, numa reunião em que eu estava, tive a mesma vontade que passou pela cabeça do nosso agora ex-Ministro da Economia.

Juro que me apeteceu fazer uns valentes cornichos (e mais uns quantos gestos obscenos) para a pessoa que gritava barbaridades à minha frente, para uma plateia de acéfalos que, sem vontate ou opinião própria, a seguiam como carneiros.

Mas não o fiz! Respirei fundo, simulei um telefonema que nunca existiu e saí da sala de fininho! E, portanto, assim não tive de me demitir, nem de me despedir, nem de sofrer consequência nenhuma por um gesto de "cabeça quente"!

Mas, confesso, tenho pena de não ter feito os cornichos... Apetecia-me tanto!!!! E confesso que até compreendo o "Manelito"... A bancada do PCP é dose!!!!! Nem um Santo os aguenta!!!!

Caro Dr. Manuel Pinho, isto é "d'homem"!!!! Só não devia ser de político!....


quarta-feira, 1 de julho de 2009

GAME - Grupo de Arte Musical e Expressão (que saudades!)

Correndo o risco de me tornar repetitiva nos assuntos, vou voltar a falar no Michael Jackson.

Não que fosse assim tão fã. Mas hoje, à hora do almoço, ia no carro e ouvi o Thriller. E isso transportou-me para uma época da minha vida que recordo com alguma nostalgia e muita alegria, e que não posso deixar de partilhar.

Estávamos em 1983, e eu tinha 11 aninhos. Os meus pais sempre estiveram “muito à frente”, e por isso uma das actividades que arranjaram para me ocupar os tempos livres era um grupo de teatro, na colectividade local. Chamava-se GAME, as iniciais para Grupo de Arte Musical e Expressão, e proporcionou-me momentos inesquecíveis que fazem parte de uma infância muitíssimo recheada e feliz que, graças a Deus (e aos meus pais), eu pude ter.

No GAME, levávamos a coisa muito a sério! Ensaios, caracterização, espectáculos... e até digressões (sim, que íamos actuar noutras colectividades)!

A certa altura, o nosso encenador – que na altura era um miúdo (um pouco mais velho, mas um miúdo) e hoje faz parte do panorama artisitico nacional, no chamado “backstage” - resolveu que seria giro por os “putos” a fazer um sketch do Thriller. E assim foi. Dancávamos, cantávamos e imitávamos aqueles monstros e criaturas todas. Já não me recordo quem fazia de Michael Jackson… provavelmente um dos mais velhos. Mas lembro-me do quanto foi difícil decorar a coreografia! E lembro-me do nervoso que sentíamos antes de entrar em palco. Era uma emoção! Foram, sem dúvida, momentos inesquecíveis!

Parte dos elementos do grupo continuam a fazer parte da minha lista de amigos. Alguns mais distantes, outros nem tanto. Outros têm hoje uma vida bem sucedida. Uns quantos perderam-se pelo caminho.

Mas de certeza que todos recordamos aqueles “anos dourados”. Beijinhos a todos!... Onde quer que estejam!


segunda-feira, 29 de junho de 2009

So long Michael!

Eu sei que este Post já vem um pouquinho tarde. Mas, mesmo assim, não poderia deixar de postar aqui qualquer coisa sobre este assunto, ou não fosse este Blogue tão estreitamente ligado à música.

É um facto que cresci ao som de ícones do Pop dos anos oitenta, e o Micheal Jackson é indiscutivelmente a mais marcante dessas figuras. Relembro o quanto fiquei fascinada a primeira vez que vi o Thriller - muito melhor que qualquer filme de terror que passava por essa altura nos televisores lá de casa e que, ainda por cima, estavam confinados à existência da RTP.

Ficávamos estupefactos com os seus elaborados passos de dança. Todos queriam dançar assim.

O cabelo, os gestos, o sapato preto com meia branca... cada detalhe da sua imagem era pensado ao pormenor.

Depois vieram as polémicas. O declínio do artista. Especulações, opiniões e tantos jornais e revistas vendidas, por conta das mais mirabolantes histórias - verdadeiras ou não - que inevitavelmente tiveram as suas consequências na carreira de Micheal Jackson.

Eu nunca liguei grande coisa a revistas cor de rosa - até porque a minha Mãe sempre me ensinou que "quem mora no convento é que sabe o lá vai dentro!". E por isso, neste momento, apenas me apetece dizer que sinto muito a sua morte.

Sinto muito porque sempre gostei do Micheal Jackson. E porque tinha apenas 50 anos e é sempre triste morrer aos 50 anos.

Enquando cantor, considero que até os seus mais recentes e desconhecidos albuns têm músicas de grande qualidade.

Enquanto ser humano, penso: de que vale ter fama e sucesso, se todos temos o mesmo fim? Assusta-me pensar que é possível ser tão famoso, rico e reconhecido e acabar por morrer sozinho! Sometimes, life sucks!!!!

Fica então, em sinal de homenagem, a minha música preferida da carreira do Michael Jackson - Man in the Mirror.

Não deixo o vídeo original, pois considero que é demasiado violento e nem eu consigo vê-lo sem que me cause algum sofrimento. Mas esta música sempre me transmitiu uma mensagem deveras importante: todos podemos mudar o mundo, e devemos começar por nós próprios!

So long, Micheal!


quinta-feira, 25 de junho de 2009

Good Morning... To you!

Eu acordo sempre bem disposta. O despertador toca e, automaticamente salto da cama, como se estivesse prestes a começar um novo capitulo de uma aventura. E é sempre assim. E sempre foi.

E tenho o maior prazer em acordar os outros “inquilinos” lá de casa com muitos beijinhos e brincadeiras. Gosto de fazer o dia dos outros começar cheio de alegria!

Nunca consegui perceber muito bem aquelas pessoas que ficam “só mais cinco minutos”, depois mais cinco, e depois mais cinco, e mais cinco… e quando dão por ela estão atrasadas, ficam mal dispostas e “encrencam” a agenda do dia todo. Nem as pessoas que começam o dia sem dizer uma única palavra, com cara de poucos amigos e sem aguentar que falem com elas durante uma horita ou duas.

Eu tenho um imenso prazer em entrar na banheira e tomar um duche reconfortante, com direito a cantoria e tudo! E depois, saio da casa de banho e distribuo beijocas repenicadas e abro os estores para o sol entrar (ou apenas a luz, se for Inverno). Faço a cama, que eu (quase) nunca saio de casa com a cama por fazer, tomo o pequeno-almoço em boa companhia - ainda que a correr – e vou trabalhar. Canto alto no carro, e farto-me de rir sozinha com os disparates na rádio (Comercial).


Entro no escritório sempre com a mesma energia e boa disposição!

… Conclusão: Sou mesmo louca!!!!


terça-feira, 23 de junho de 2009

Aventuras no campo

Dito assim, parece o título de um daqueles filmes porno de realização dividosa e elenco saloio... Mas não!!! Desengane-se quem assim pensou. Este é mesmo o Post que aqui faltava, a pedido de muitos leitores e amigos, doidinhos para saber o resultado do meu Baptismo de Campista!

Pois é, tenho a dizer-vos que... tchan-tchan-tchan-tchan... (os efeitos sonoros aqui não são grande coisa)...
A-D-O-R-E-I!!!!


Claro que ainda não estamos em época alta. A tenda mais próxima era de alguém que estava connosco, e a segunda tenda mais próxima - de um desconhecido, entenda-se - ainda estava a alguns largos passos. Ah, e o balneário ainda não tem "horas de ponta".

Mas gostei de dormir numa tenda. E gostei de acordar ao som dos passarinhos, entrecortado pela bela discussão conjugal do casal da tenda lá de baixo - ficámos todos a saber que a rapariga "é muito boa, mas é calada!", e ficámos devidamente informados sobre a quantidade de sítios desadequados para onde gostam de ir os dois (sim, que ambos se encarregaram de mandara o outro para os sítios mais indescritiveis).

Quanto ao contacto com a natureza, apenas tenho a dizer que uma aranha aqui, uma lagartixa ali, um escravelho acolá, não matam ninguém! (ehehehehe... esta foi só para vos impressionar, que eu não tenho medo de bichinhos à toa)

Bom, agora fora de brincadeiras e parvoíces: admito que me diverti. E muito!

Gostei imenso da sensação de liberdade. Da sardinhada, em calções e havaianas. Do cheiro do mar pela manhã. De ir lavar a loiça de alguidar debaixo do braço. Gostei mesmo do espírito da coisa!

Claro que não deixei de gostar do meu "fim-de-semana ao estilo Resort", num Pestanazinho em cima do mar.

Mas aqui, o espírito é outro... é como em tudo na vida. E eu sou assim. Posso gostar de cozinha de autor em restaurantes gourmet, mas também sei apreciar os caracóis da colectividade lá do bairro!!!

E pronto... com estas "noites quentes" e o sabor a Verão, aqui fica o Travolta e o "Summer Nights", que me faz sempre viajar até às minhas férias de infância...


sexta-feira, 19 de junho de 2009

Let's Go Camping

E cá vou eu embarcar em mais uma nova aventura!!! Como diz um grande amigo meu, eu sempre adorei acampar... desde que fosse num Tivoli (vá, um Pestana também sempre me serviu...)

Mas agora, aos (quase) 37 anos vou acampar pela primeira vez na vida!!! Dormir numa tenda, num saco-cama sob a luz da lua, sem os luxos do meu 4 ou 5 estrelas com cama king-size e com pequeno-almoço buffet.

Vai ser uma experiência nova e, estou convicta, até vai ser engraçado.

Perturba-me o facto de não ter uma casa de banho só minha, com um cestinho cheio de champôs e gel de duche em miniatura, e um selo em volta da sanita que ateste que antes de mim, passou por lá o pelotão de desinfecção (ainda que por vezes até eu duvide dele).

Vou concerteza sentir falta do comando do ar condicionado. E do mini-bar, atestado de garrafinhas pequeninas e chocolates - embora na maioria das vezes apenas olhe para ele, e me divirta a ver as variedades de bebidas "de brincar" com preços tão proíbitivos que me fariam pensar tratar-se de garrafas de litro, se não as visse. Vou sentir falta do ritual de abrir a porta com um cartãozinho mágico tipo multibanco, que também acende as luzes e que, quase religiosamente, eu acabo por perder.

Mas, por outro lado, acredito que vá adorar a sensação de liberdade de dormir com o som do vento nas árvores e do mar ao fundo ("qual vento???" perguntam vocês... está um calor que nem se pode!). Vou divertir-me muito a lavar o bikini num tanque. Vou adorar a despreocupação de poder andar de calções e havaianas por todo o lado!

E acima de tudo, vou adorar poder partilhar os hábitos de vida do meu "companheiro de viagem". Porque o amor é isso mesmo: algumas cedências e muitas descobertas. Ele tem feito muitas... é a minha vez!

Estou ansiosa por esta nova experiência!... E depois deste fim-de-semana de aventuras, cá estarei com novidades!!!! Aguardem-me!