terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Crónica de uma (outra) fantasia

Levantou o auscultador do telefone, já antevendo aquela abordagem rude e grosseira, que a deixava tão fora de si:

- Almoças?

Directo. Rápido. Nem um “olá”, nem um “bom dia”. Apenas uma voz carinhosa, mas sem uma palavra de carinho. E era exactamente isso que funcionava como uma faísca, que acendia a chama! Era como um código.

- Contigo? Sempre… - respondeu ela, com um sorriso meio malandro, que ele quase conseguia ver do outro lado da linha.

- Espero por ti. Daqui a meia hora...

Desligou, sem um “adeus” ou um “até já”. E começou então a contagem decrescente. Trinta minutos, infinitamente mais longos que a hora e meia que se lhes seguiria.

O ecrã do seu computador poderia, neste momento, ter qualquer conteúdo. Já não importava, ela já não o conseguia ler.

Pouco depois levantou-se. Vestiu o casaco e olhou os restantes habitantes do open-space.

- Até já. – Disse num tom baixo, tentando disfarçar.

- Não vens almoçar? - Perguntou alguém no canto da sala.
- Não. Hoje tenho um almoço…

E apressou-se a sair sem olhar para mais ninguém. Sabia que se lia nos seus olhos que teria tudo, menos um almoço!!! Os seus olhos denunciavam-na.


(P.S.: e escusam de me perguntar com quem almocei... isto é apenas ficção!!!)


"Good girls go to Heaven... Bad girls go everywhere!!!" (Meatloaf)



2 comentários:

LetrasAlinhadas disse...

Feliz Natal!!

apple_pie disse...

Olá Teresa,
Passei para te desejar um Feliz Natal, cheio de coisas boas, muita saúde e, principalmente, muito boa música :)
Beijinhos