domingo, 30 de novembro de 2008

Já cheira a Natal!...

Há quase há 30 anos, havia por estes dias um ritual que me marcou de tal forma, que quase consigo revivê-lo se fechar os olhos.

Pelos últimos dias de Novembro, saíamos de casa devidamente equipados, e íamos apanhar musgo para fazer o Presépio. Daquele musgo grosso, que crescia junto à ribeira, aos muros ou nas bases das árvores.

Enchíamos um balde com as maiores e mais "farfalhudas" placas de musgo que encontrássemos.

Naquele tempo, não havia IC19. Não havia Continente, Conforama, e muito menos Ikea... nem sequer havia a Quinta Grande, em Alfragide! Havia apenas uma riberia que corria cheia por esta altura, e uma quinta (onde é hoje a Quinta Grande) a que chamávamos Quinta da Bruxa, e para onde gostávamos de ir viver aventuras de monstros e assombrações.

Naquele tempo, sair com o meu pai e os meus irmãos para apanhar musgo para o presépio era quase tão importante como o Natal. Divertíamo-nos à grande!!!

Naquele tempo, havia lá em casa uma mesa de centro baixinha, em madeira com os pés trabalhados, que era perfeita para colcarmos então o presépio.

E o Presépio era inteiramente criação da minha mãe. E feito com o contributo de todos, religiosamente, no dia 1 de Dezembro - dia em que decorávamos a casa, enfeitávamos o pinheiro que o meu pai trazia da praça e começávamos a viver o Natal.

O Presépio era muito mais importante que o Pinheiro. Tinha figuras de gesso pintadas à mão. O menino despido numa cama de palhinhas. Tinha o burro, a vaca, os reis magos, os camelos, ovelhas, pastores, cães e todas as figuras que conseguissemos imaginar.

Fazíamos uma gruta com jornais, forrada a musgo e tudo ganhava vida!... Ficava lindo.

E o cheiro do pinheiro e do musgo dominavam até ao dia de Reis. Ainda consigo sentir esse cheiro que me faz reviver esses momentos da minha infância.

Desse tempo, ficou apenas a tradição de decorar a casa religiosamente no dia 1. E ficou este gosto pelo Natal, pelos cheiros do Natal, pela família.

Foi também esse tempo que fez de mim o que sou hoje!

***********************************

E por fim, deixo-vos com a verdadeira "Piroseira Natalícia"!!! É a canção que melhor me faz relembrar os Natais da adolescência... tantas recordações!

Sem comentários: