segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Pior que uma decisão errada.... é decisão nenhuma!

Grande verdade esta!

Surgiu no meio de uma conversa esta tarde, com um amigo, em tom de conselho. Ficou às voltas na minha cabeça. Ele tem razão. Como tem!

Ás vezes, hesitamos em tomar decisões, assolados por um mar de incertezas. Somos, quase sempre, resistentes à mudança, à novidade, à diferença. Não nos deixamos levar pelos nossos ímpetos simplesmente porque temos medo.

Levantamos barreiras à nossa volta e adiamos a nossa felicidade, na esperança de que todos os nossos medos desapareçam. Nunca nos atiramos de cabeça, com medo da queda!

Na maioria das vezes, saímos a perder.

Porque, afinal, "pior que uma decisão errada... é decisão nenhuma!"

********************

Quanto a música, e como estou apaixonada pelo CD de Tributo a Carlos Paião, que acabei de comprar, aqui fica mais uma que não mencionei ontem: Cegonha.

Não deixem de ouvir. Também já não me lembrava desta música, e está fantástica num registo de fado!

Cegonha - Filipa Cardoso & Fábia Rebordão

1 comentário:

Leonel disse...

Heheh..

Onde é que eu já li isto..

É triste constatar esta realidade, se nunca na vida tivesse havido alguem disposto a quebrar barreiras e a atirar-se de cabeça a um desafio é quase certo que nao estaria aqui e agora a escvrver este texto num PC... porque simplesmente nao existiriam PC's, internet e quem sabe talvez até escrita e comunicação...

A decisão de criar, fazer, arriscar há de levar a algum lado, muitas vezes alcançamos algo melhor, maior, o que seja... simplesmente porque tomámos a decisão...

Mas há quem se entregue aos seus falsos medos, se derrote a si proprio à partida sem sequer tentar correr... e por vezes tentamos ajudar em vão certas pessoas que até o merecem... mas que preferem nao tomar decisão nenhuma... e ai eu penso para comigo " empurrar quem não quer andar não vale a pena "...

A todos os que por acaso tiverem tido a paciencia de chegar ao fim do testamento percam 30 segundos a pensar naquele assunto que tem vindo a ser adiado ad eternum, tomem uma decisão e façam no mexer, andar, desenvolver, evoluir... afinal se estava parado era como ja estivesse perdido, pior não há-de ficar...