domingo, 13 de julho de 2008

Contemplação

Hoje perdi-me dentro de mim mesma, vezes sem conta, ao contemplar-te!...

Contemplo as tuas mãos. Esguias. Suaves. De gestos fortes e ao mesmo tempo sublimes, que em sonhos passeiam lentamente em mim, demoradas…

Teus braços… e quem dera me envolvessem e me agarrassem, sem que me dessem espaço, e me apertassem, e me fizessem sentir-te, por inteiro.

Contemplo o teu peito onde encostaria, se pudesse, o meu peito a todas as horas…

As tuas pernas e os teus pés, onde enrolaria os meus, deixando que se confundissem... Como se de mãos dadas se tratasse.

Por fim, contemplo (quase) todo o teu corpo. És magnífico. Lindo. Aos meus olhos – em deslumbramento - o teu corpo revela-se nas mais apetecíveis formas de homem… do homem que eu quero…

Mas não tenho.

Não te posso tocar, não te posso sentir. E por isso contento-me nesta contemplação.

E, de cada vez que te olho, falta-me o ar… sufocam-me essas tuas formas. Sufoca-me o tom da tua pele. Sufoca-me o teu sorriso, a tua voz. Sufoca-me esta vontade de te tocar e não poder.

Nem sei como, até hoje, nunca viste em mim todo o desassossego que me causas............ ou viste???

Beijos, beijos, beijos… todos os que te queria poder dar…


As vezes, no silêncio da noite
Fico imaginando nós dois
Fico aqui sonhando, acordada...

Caetano!

Sem comentários: