quinta-feira, 15 de maio de 2008

O tempo... dá-me "o teu para sempre"

O coração tem razões que a razão desconhece. E o facto é que a razão e o coração nem sempre andam a par e passo.

Por vezes, sabemos muito bem qual a atitude mais certa. Pensamos e repensamos as nossas escolhas, os nossos actos e o que deles pode resultar. E por muito que saibamos a direcção a tomar, lá vem o coração falar mais alto.

E acaba por ser ele a ditar o caminho.

Por isso, mais vale segui-lo! Acreditar que o tempo nos vai revelar que, afinal, essa era a escolha...

E esse é o grande aliado: O TEMPO...

O tempo que tudo cura, que tudo esquece. Mas também o tempo que relativiza. Ou ainda, o tempo que revela.

Dá-me tempo... tempo para que conduza o teu barco ao meu cais. Devagar. Com leves manobras, com suaves empurrões. Dá-me tempo para que me revele. Dá-me tempo para que possa imprimir vagarosamente as minhas marcas em ti...

E depois, dá-me o teu tempo... como diz esta canção... Dá-me "o teu para sempre".

Não que seja para sempre, mas que seja o nosso tempo certo!



Sem comentários: