domingo, 4 de maio de 2008

Mãe

Hoje, primeiro domingo de Maio, comemora-se o DIA DA MÃE.

Antes de mais, deixo aqui as palavras que já não posso dizer à minha mãe: AMO-TE MUITO! Disse-to tão poucas vezes... mostrei-te tão poucas vezes. Quem me dera ter mais tempo para te dizer tudo o que não te disse. Quem me dera ter mais tempo, e dar-te-ia muito mais de mim. Mas sei que onde quer que estejas sabes o que sinto, estás sempre comigo e sabes que esta é a verdade: amo-te mesmo muito.

E a música que hoje deixo é mais uma daquelas músicas que ouvíamos no nosso gira-discos quando eu era criança – aquele gira-discos de que já algumas vezes falei neste blog. Também esta música tem o dom de me transportar para a minha infância e me fazer sentir a presença da minha mãe.

E assim, à minha mãe dedico a música “El Condor Pasa” – Simon & Garfunkel, e à minha filha dedico o texto “Abençoado o dia em que nasceste” - que escrevi para ela quando ela chegou, para mudar a minha vida!



**************************

“Abençoado o dia em que nasceste”

Nasceste no dia em que soube que estavas dentro de mim, e contigo cresceu também um amor como nunca pensei existir.
Durante 9 maravilhosos meses fui alimentando esse amor sem te conhecer o rosto e depois, nesse dia inesquecível, eu também nasci de novo. Sei que mudei para sempre, não só porque toda a gente me salienta o quanto mudei e amadureci, mas porque me sinto realmente diferente desde esse dia.
A minha vida tinha outro ritmo, não tinha rotinas, tinha outros valores, outras prioridades e tudo tinha uma dimensão diferente: os problemas, as alegrias, as frustrações...
Agora, tu és o fundamento de tudo: criei rotinas e adoro-as – acordar cedo porque tu queres o teu leitinho, a hora do banhinho, do ó-ó.
As coisas a que antes dava importância, deixaram de ser importantes. O que antes era um grande problema agora não tem valor, comparado com uma febre que tenhas...
...Se antes era maravilhoso não ir para casa ao fim do dia para ir passear, agora não vejo a hora de correr para casa só para te ver. Tudo à minha volta ganhou novas cores!
Mas a maior mudança deu-se dentro de mim, e essa não sei explicar. É por ti que sou outra pessoa e o sinto. É por ti que respiro, é por ti que vivo. É como se fizesses realmente parte de mim - fisica e emocionalmente...
Por mais que escreva e que procure as palavras mais fortes, nunca conseguirei expressar-te o quanto te amo.
... E eu, que pensava que na vida, nada era para sempre, agora tenho a certeza que existe um amor eterno: este amor que nos une é incondicional e para sempre!

(Teresa Meteus, 24/10/2002)

1 comentário:

LetrasAlinhadas disse...

"Entrar num Blog, ler o texto, e não deixar um comentário... é como ir visitar alguém, e sair sem se despedir!"

Gostei da forma como o dizes, e concordo plenamente. Excelente a ideia do teu blog. Um beijo