quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Encerrando 2008!

Sendo hoje o último dia deste fantástico e memorável 2008, venho apenas dizer-vos três palavras:

ENTREM EM GRANDE!

Eu farei o mesmo. Ou, pelo menos, farei por isso!

E, exactamente por achar uma estupidez o "festejar, tem que ser", e nem me estar a apetecer minimamente ir para confusões, acabo de me "baldar" a duas festas (eheheh, má acção: utilizei cada uma delas como desculpa para não ir à outra!... depois eu confesso o que fiz!)

Decidi ficar a curtir a minha casa, a minha música e um filme que ali tenho. Com uma garrafa de bom vinho tinto (do Douro, para não variar) e um tal queijinho de ovelha!...

... E apetece-me ficar aqui, embrenhada neste estado de completa "flutuação" em que ando ultimamente!! Eu hoje não preciso de festa... é que, de há dois dias a esta parte, o meu cérebro foi totalmente monopolizado e está em autêntica festa!

All is quiet on New Year's Day
A world in white gets underway
I want to be with you, be with you night and day.
Nothing changes on New Year's Day.
On New Year's Day.

I... will be with you again.
I... will be with you again




P.S.:
E, aproveitando o clima de “más acções”, resolvi boicotar também as tradições (ou parvoíces) desta data. Como as doze passas e o espumante. Como uma lingerie nova, azul. Como a nota no bolso (esta confesso que nunca cumpri… e isso deve explicar os “apertos”!).

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Liberdade...21 ou outro número qualquer!!!!

Pronto!.... agora já consigo respirar!... já me refiz da emoção de ontem! É verdade.... pelo menos já consegui deixar de pensar nisso por uns momentos - os momentos necessários para ver um pouquinho de "Liberdade 21"....



Vejo só pelo motivo acima!... que é um grande motivo!!! Não há dúvida que "O que é Nacional é booooooom!!!! Eu estou cada vez mais fã....

E agora, desculpem lá, mas tenho de voltar ao meus pensamentos.... que está díficil tirá-los (ou tirá-lo) da cabeça!!!... É simplesmente "unforgettable"!....


segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

"2008 em Revista"... na TV!

Se ontem foi o dia de eleger os bons e maus da música, hoje é a vez da TV.

Sim, que vejo pouca... mas vejo! Normalmente, resumo a minha passagem pela parte da frente do Televisor às séries internacionais, VH1, e pouco mais. No entanto, aqui vai a minha escolha.

Produção Nacional:

- O Mais: "Conta-me como foi".
Sinto-me "cota", como o meu irmão mais novo me chama. Mas o facto é que até das caixas onde, na série, se guarda o arroz e o açucar eu me lembro. E das carteiras da escola - aquelas mesas em madeira, com o tampo inclinado. E dos pratos - aqueles pratos de vidro castanho ou verde. E de tantos e tantos outros detalhes que vão surgindo na série, e me recordam a minha própria infância! (ok, confesso que tb gostava de escolher o "Liberdade 21"... mas era só por causa do Ivo Canelas!!!)

- O Menos: Novelas.
Não há quem aguente a seca com que somos inundados diariamente. Os argumentos são péssimos, as bandas sonoras "pimbas" e os actores são terríveis - e destaco, de entre estes heróis da arte de mal representar, o José Carlos Pereira, que tem um problema na boca e não consegue separar os maxilares enquanto fala!

Produção Internacional:

- O Mais: "Californication".

Adoro! Sim, eu sei... já tinha passado em 2007, mas tb passou em 2008, e eu não lhe resisto. O humor é fantástico, o nivel de maluquice alucinante e traduziu-se sempre em momentos bem passados em frente ao Televisor (até confesso que vi de empreitada, outro dia, todos os episódios que tinha perdido)

- O Menos: "Doctor House".

A sua arrogância e prepotência irritam-me solenemente. E aqueles casos, tão díficeis que nem lembram ao careca, também. E aquele "dom", que lhe permite descobrir sempre tudo no último momento, exactamente quando o paciente já estava mesmo prestes a "arrumar as botas". Não posso com o senhor... mas provavelmente devo ser só eu!... Coxo, maricas (sempre a queixar-se) e todo drunfado!!!! Santa paciência!


Quanto a música - a verdadeira razão de ser deste blogue - e para que tudo por cá seja coerente (e sim, isso nem sempre acontece, mas eu também tenho alguma "pancada") escolho uma música que, sem integrar a banda sonora da minha escolha internacional, tem a coincidência no nome e a vantagem de ser Red Hot Chili Peppers!

domingo, 28 de dezembro de 2008

"2008 em Revista"... na música!

Pois é, partilhei com vocês num outro recente Post o melhor e o pior de 2008, no que à minha vidinha dizia respeito.

Hoje, depois de ter visto o “Ano em Revista” em vários “suportes” (ou seja, no jornal que li no café, nos TOP’s do VH1, na revista “Activa”…. ), decidi-me a partilhar com vocês a minha selecção do que de melhor e pior se passou em 2008 – ou pelo menos no que se refere aos meus interesses. Começando pela música…

Musica Nacional:

- O Mais: Camané.
É o homem que me fez olhar o fado com outros olhos. Constatar que, apesar de todas as tradições e raízes culturais que representa, o fado não pode deixar de evoluir. Excelente trabalho! Aconselho-vos a escutar com toda a atenção o álbum “Sempre de Mim”. Simplesmente fantástico! (eu empresto, se quiserem! Não me canso de o ouvir!)

- O Menos: André Sardet.
Até pode ser um álbum de música infantil. Não discuto. Mas é do piorzinho que já ouvi!!! E as letras são absolutamente horrendas…. “Gosto de ti, desde aqui até à lua”…… Por favor, ó André!!!! Que original!!


Musica Internacional:

- O Mais: Seal.
O mais fantástico álbum de “covers”. Canções sobejamente conhecidas, às quais Seal dá o seu “toque”. É indescritível a força da sua voz. O poder das suas interpretações. Adorei… e tb já “cá canta”!!!

- O Menos: Amy Whinehouse.
Nem sei o que dizer! É deplorável! Quando por cá passou, no RiR, conseguiu dar-nos um grande espectáculo de degradação e falta de brio artístico. Eu recuso-me a comprar CDs de alguém que premeia os fãs com grandes “mocas”, sempre de copo na mão, e a coçar-se por todos os lados. Alguém que nem se aguenta nas “canetas”!!! Até para ser “chanfrado” há que saber sê-lo. Principalmente, quando os fãs pagam! Please… Go to “Rehab”!!!


… E como a escolha do melhor foi difícil, dado que estive mesmo muito indecisa, deixo-vos como “vídeo do dia” o outro “mais”. É que o ano nem poderia acabar, sem os Coldplay lançarem mais um fantástico álbum – Viva La Vida!... E aqui fica a música que, sempre que ouço no carro, me faz ter vontade de aumentar o volume a carregar mais no acelerador (… mas estejam descansados que não o faço!!!)



Agora, vá lá!... Não sejam tímidos e tornem este espaço mais “interactivo”! Digam também de vossa justiça. Que quero conhecer-vos melhor!!!

Beijinhos a todos,

T

sábado, 27 de dezembro de 2008

Playing for Change

No blogue do homem que anima as minhas manhãs(*) encontrei hoje esta obra verdadeiramente fantástica, e que não posso deixar de partilhar com todos vocês.

Como eu costumo dizer, o "Mundo é um quintal". E a música é uma língua universal, através da qual conseguimos comunicar e entender-nos. No matter where we are!

É incrível a sensação que me invadiu depois de ouvir esta música!



(*) para quem não sabe, quem me anima diariamente é o Pedro Ribeiro, e o seu humor contagiante nas manhãs da Comercial!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

2008 - Best of...e nem por isso!

Entramos em contagem decrescente. Faltam apenas 6 dias.

Hoje em dia, mais do que do Natal, gosto da Passagem de Ano. Agrada-me o conceito de encerrar um capítulo, ainda por cima em clima de festa, e começar um Ano Novo, como se de um novo capítulo se tratasse.

É tempo de recordar o que foi bom, e atirar para trás das costas o que foi menos bom. É tempo de reflexão e resoluções.

Para mim, 2008 foi um ano inesquecível.

Resolvi, por isso, em jeito de retrospectiva, destacar os momentos altos e os momentos menos bons… Desafio-vos a fazer o mesmo!

BEST OF 2008:

- Renascer! Sem dúvida, o melhor de 2008 é o facto de ter descoberto uma Teresa nova em mim. Recomecei uma nova vida, com novos objectivos, e estou a adorá-la!


- Os amigos! O apoio dos que sempre estiveram ao meu lado, foi fundamental para me levantar e seguir em frente. Obrigada a todos.


- Os reencontros! Em 2008 reencontrei várias pessoas que, em alguma ocasião, já tinham passado pela minha vida. Um desses reencontros, em especial, tem-se revelado surpreendente!

E OS "NEM POR ISSO":

- Os homens! Porque, mesmo não querendo “meter-me noutra”, confesso que começo a sentir falta de viver momentos especiais. Viver uma paixão em toda a sua intensidade. Alguém com quem partilhar alguns momentos… e sem stresses!... Mas a pontaria tem sido péssima!!! Só encontro “dificuldades”!!!!


- Os desencontros. E tudo que ficou por realizar…


- A (minha) crise. Sim, que é díficil recomeçar sozinha, e ter de “apertar o cinto”. Uma casa que nunca mais se vende. E todas as despesas, sozinha.


Agora é a vossa vez!...

It's the Final Countdown (Europe)

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Crónica de uma (outra) fantasia

Levantou o auscultador do telefone, já antevendo aquela abordagem rude e grosseira, que a deixava tão fora de si:

- Almoças?

Directo. Rápido. Nem um “olá”, nem um “bom dia”. Apenas uma voz carinhosa, mas sem uma palavra de carinho. E era exactamente isso que funcionava como uma faísca, que acendia a chama! Era como um código.

- Contigo? Sempre… - respondeu ela, com um sorriso meio malandro, que ele quase conseguia ver do outro lado da linha.

- Espero por ti. Daqui a meia hora...

Desligou, sem um “adeus” ou um “até já”. E começou então a contagem decrescente. Trinta minutos, infinitamente mais longos que a hora e meia que se lhes seguiria.

O ecrã do seu computador poderia, neste momento, ter qualquer conteúdo. Já não importava, ela já não o conseguia ler.

Pouco depois levantou-se. Vestiu o casaco e olhou os restantes habitantes do open-space.

- Até já. – Disse num tom baixo, tentando disfarçar.

- Não vens almoçar? - Perguntou alguém no canto da sala.
- Não. Hoje tenho um almoço…

E apressou-se a sair sem olhar para mais ninguém. Sabia que se lia nos seus olhos que teria tudo, menos um almoço!!! Os seus olhos denunciavam-na.


(P.S.: e escusam de me perguntar com quem almocei... isto é apenas ficção!!!)


"Good girls go to Heaven... Bad girls go everywhere!!!" (Meatloaf)



segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Natal dos Hospitais

É engraçado, porque me lembro de ser miúda, e de nos reunirmos à volta da TV para ver o Natal dos Hospitais.

Era um programa emblemático da quadra Natalícia, e não havia uma família que o perdesse. Um desfilar de artistas de renome - como o Marco Paulo e os seus invejáveis caracóis arrumadíssimos, ou o Roberto Leal com a sua farfalhuda cabeleira pintada de loiro - e um apresentador sempre composto e altamente profissional.

Era um dos momentos mais esperados da programação dessa quadra, e que entrava em competição directa com a "Gala do Sequim d'Ouro" (Zecchino D'Oro) ou com o Circo do Mónaco na manhã do dia de Natal.

Pois é. E ontem, estava eu a fazer zapping, quando passei pelo "moderno" Natal dos Hospitais. A coisa já não é igual, digo-vos eu... perdeu a magia! Em vez de artistas consagrados (independentemente do quanto são "pimbas") temos os cantores da "morangada" e afins. Temos sketches de humor ao estilo "Malucos do Riso", e um apresentador aos saltos...


A causa continua a ser nobre, mas já não é o mesmo Natal dos Hospitais das minhas tardes de criança!

Mas pelo menos, este ano, fez-me descobrir uma música de que gostei. Mais um um projecto inovador, em que se mistura o Fado e o Jazz. Uma nova e interessante abordagem de um fado que adoro.

Chama-se "A Moda das Tranças Pretas" e este novo projecto é o "Fado em Si Bemol". Aqui fica ... apreciem!

(lamentavelmente, o único vídeo no Youtube não é do Natal dos Hospitais... mas serve!)

domingo, 21 de dezembro de 2008

Os Homens, segundo a minha classificação!

Depois de me ter sido apresentada ontem a classificação das mulheres, como se de um objecto possível de catalogar se tratasse, resolvi hoje dedicar algum tempo e neurónios a fazer o paralelismo para o lado masculino.

E cheguei à conclusão que realmente os homens não são todos iguais. Também podemos classificá-los de acordo com a forma como encararam os seus relacionamentos.

- O VILÃO:

Atraente e charmoso (não forçosamente bonito), enfeitiça ao primeiro olhar. Acha que pode tudo. O seu lema é “chegar, ver e vencer”. Quer chegar rapidamente aos seus objectivos, dispensa perdas de tempo e grandes jogos de sedução. Não se entrega, nem quer entregas. Tem um bloco de gelo no lugar do coração.

Mas o facto é que conquista meio mundo. Por onde passa, destrói corações e arrasa tudo à sua volta. E não se iludam, um Vilão nunca muda! Mas, como nas histórias, o Vilão acaba sempre sozinho.

- O PRINCIPE:

Bonito (ou pelo menos bem parecido), educado e atencioso, trata a mulher como uma rainha. Aloja-a num castelo e cobre-a de tesouros. Vive permanentemente ao seu lado, e proporciona-lhe uma vida calma e tranquila.

Homens destes são uma seca!!! Perdem toda a graça com o tempo. Porque inevitavelmente, o castelo irá tornar-se aborrecido e os tesouros deixam de ter o mesmo sabor. A falta de espaço que a sua presença permanente implica, coloca em causa a independência e afirmação da mulher, que começa a sentir falta de alguma emoção na sua vidinha calma e tranquila…

E um dia cai do trono. Acaba-se o reinado (ou, neste caso, o principado).

- O MÁGICO:

É um artista… transpira sedução! É sexy, e nem precisa de ser bonito! Vai conquistando lentamente, com a magia das suas palavras e dos seus gestos irresistíveis. Faz a mulher sentir-se parte do seu espectáculo. Nunca promete o sucesso, mas garante a emoção vivendo intensamente a cada dia. Vai alimentando a paixão com novos jogos e truques, e só sabe viver com o prazer de dar o maior prazer!

“That’s my Man!!!”. Porque enquanto durar, será sempre bom! Porque vale a pena viver intensamente o presente, mesmo sem saber o futuro.


E agora, como em qualquer catálogo que se preze, podemos ir adicionando novas categorias… Minhas amigas, conto com o vosso contributo (e os amigos, se quiserem também podem dizer de sua justiça)!

E para animar o catálogo: You Can do Magic (América)


sábado, 20 de dezembro de 2008

Crónica de uma fantasia

02h00. A adrenalina da espera… É hoje!

Tinha pensado em todos os detalhes e, agora, os seus olhos buscavam-no incessantemente por entre a multidão que balançava, ritmada, ao som da música.

Ela também deixava o seu corpo seguir o ritmo. Adorava dançar – sentia-se solta, invadida por um mar de emoções e feliz. E, à medida que dançava, parecia ser engolida por aquela multidão. Mas o som, alto, não conseguia abafar-lhe o pensamento. As fantasias. E a contagem dos minutos, que teimavam em querer parecer cada vez mais longos.

Num canto, de onde podia contemplar toda a pista, dançava de olhos fechados. Tanto tempo depois, ainda podia sentir aquela barba suave no seu rosto. Exactamente ali.

E por fim, ele chegou, sem que ela o visse. Como uma sombra, aproximou-se das suas costas e colocou as mãos na sua cintura. A sua respiração quente aqueceu-lhe a alma e o corpo inteiro. E uma voz rouca e pausada entrou no seu ouvido, fazendo cada gota do seu sangue desaparecer temporariamente para parte incerta!

- “Serviço de cobranças!... Vim cobrar a dívida que tem comigo”!

O sorriso rasgou-se no seu rosto, acompanhando o arrepio que a percorria. Manteve o seu corpo imóvel, para que pudesse continuar a sentir assim a presença dele. Não conseguia mexer-se. Virou ligeiramente a cabeça, e encontrou os olhos dele, que gritavam mais alto que todas as músicas “Aqui estou eu. Tal como querias”.

Ela sentia-se atraída pelo seu olhar desde o primeiro momento. São olhos que riem. São olhos que, no matter what, parecem directamente ligados à alma. Irreverentes, decididos, divertidos. Um olhar de criança endiabrada, preso a um corpo de homem.

Respirou fundo. Deixou-se ficar. Dançaram por alguns minutos assim, juntos. Ele sentia-lhe o perfume nos cabelos e nos ombros. Ela sentia-lhe o calor da respiração e aquelas mãos que continuavam na sua cintura.

Até que, embalados pela música, os seus olhos se encontraram novamente e os seus rostos se aproximaram lentamente. A multidão desaparecera.

Mas nesse momento, ela abriu os olhos. Voltou a procurá-lo incessantemente pela pista.

Parecia real a sua fantasia… mas, ele nunca chegou!

“I can feel it, coming in the air tonight”


quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Natal.... também é Humor!

Como continuamos completamente absorvidos pelo espírito Natalício, não podia deixar de incluir hoje este vídeo d'Os Contemporâneos.

"Parti-me" a rir, porque nunca vi ninguém imitar tão bem o George Micheal, como o Nuno Lopes.

"Matam-me" os pormenores.... nunca me ri tanto com o Axel Rose (hilariante, no final do vídeo), com o Bob Dylan ou até com os Tokyo Hotel.

Está o máximo, esta canção de Natal! E é muito nobre, a causa: Salvem os Ricos!...

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Um amor assim....

Hoje… mais um serão “disto”… e é MESMO a “mais bela história de amor”!!

Repitam-ne! Repitam-na muito! Repitam-na vezes sem conta!

E chamem-me romântica, chamem-me “pirosa”, chamem-me o que quiserem! O certo é que não me canso de (re)ver o desempenho do Nicholas Cage. E aquele olhar. Penetrante, “directo à alma”. E aquela voz rouca, pausada. É a voz de um Anjo!

"A Cidade dos Anjos" faz-me querer viver um amor assim! Capaz de tudo. Um amor de corpo e de alma! Um amor sensorial e carnal. Intenso, sentido, profundo!


Não fosse a falta de um Final Feliz...


"Desistiria da eternidade, para te poder tocar..."
(Iris, Goo Goo Dolls)


segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Crónica do Fim... ou do (re)começo

Hoje, ela sentia-se completamente perdida naquela imensidão de espaço de um pequeno T2 de subúrbio. Sentou-se no velho sofá da sala, e deixou-se invadir por aquele silêncio. Depois, fechou os olhos e olhou para trás. Mas não muito, apenas um ano para trás... Exactamente um ano.

E viu-se numa noite de Inverno em Londres - a magia daquela cidade sempre a dominou por completo. É apaixonada por Londres, por tudo e por nada. Pelas luzes, pelas compras, pela história, pelos museus, pela cultura, pela multidão de gente que se em cruza Oxford Street, e que é tudo menos Inglesa. Pela pompa e circunstância do Render da Guarda em Buckingham. Pelo Tamisa. Pelo frio e pelos enormes copos de café em cartão reciclado que lhe aquecem as mãos.

E lá estava ela, parada, na zona de chegadas do Aeroporto de Heathrow. Consumida por um nervoso miudinho, sabia que esta era a sua ultima grande oportunidade. Desta vez, era jogar o tudo ou nada. Olhava o quadro das chegadas - “TPXXX….Expected… Landed” – e mais o aumentava o nervoso miudinho!

Finalmente, alguns (longos) minutos depois ele chega em passos vagarosos. Como se não tivesse pressa. Hoje, ela sabe que apenas ela jogava para o “tudo”. Ele, já sabia que seria “nada”!

Nesse fim-de-semana passearam, conversaram, beijaram-se e tocaram-se pela última vez. Percorreram a pé os imensos quilómetros daquela cidade. Desceram Hyde Park de braço dado. No regresso, foi o fim. Tudo acabou. Ela jogou tudo, mas ele já tinha decidido. Londres foi a despedida.

Agora, sentada no Sofá da Sala, recorda os últimos momentos. E aquele último Natal passado entre lágrimas e súplicas. E um adeus, para sempre...

Abre os olhos e olha novamente em frente. Sabe que foi melhor assim, porque não é possível lutar sozinha por um amor que morreu. E aquele amor já tinha morrido.

De olhos abertos, recosta-se então no sofá e contempla o seu mundo: reconstruiu tudo, naquele T2 de subúrbio onde é agora muito feliz.

Sente-se só, mas será certamente por pouco tempo. Aos poucos, alguém vai ocupando aquele espaço vazio no peito e na alma. Aos poucos, alguém vai povoando o seu pensamento. Alegrando os seus dias. Aos poucos, e de uma forma que jamais esperara poder vir a acontecer.

Pode nunca vir a ser nada. Mas pode vir a ser tudo... E faz com que se sinta tão bem!

E esboça um sorriso – tem todo o tempo do mundo!


The Miracle of Love

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Mas se de repente...

...voltarem a abrir-nos essa porta.... ENTRAMOS!!!

Afinal, era isso que queria. E entrei. Depressa, sem perder tempo. Nem foi preciso insistir.

Porque, no fundo, eu sabia que não podia fechar-se a porta assim, sem mais nem menos!


Ainda há muito para descobrir lá dentro!

*************************************

E música? Hoje apetecia-me deixar-vos tantas... mas ficam uma vez mais os The White Sripes (que adoro!) - I Can Tell That We Are Gonna Be Friends.


quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Segurar-me...

Foi o que fiz ontem. Foi o que fiz hoje. É o que continuo a fazer agora. Com todas as minhas forças.

Seguro tudo dentro de mim, porque sei que é melhor assim. Foi a minha imaginação que me trouxe até aqui, e não quero que ela me pregue mais partidas.

Foi como nadar, para morrer na praia!
Foi como correr, para nunca chegar!
Fechou-se a porta.
Por isso, resta-me segurar-me para não bater…

Por muito que nos custe, e que a vontade nos atraiçoe, nunca se bate quando nos fecham a porta.


quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Veio mesmo a calhar, a nova música de Natal da Comercial!

Não quero, e não posso sentir-me assim - triste. Mas também não quero falar sobre isso agora...

É Natal, e é por isso que decidi partilhar com vocês a música que hoje animou o meu dia. É divertídissima. Veio mesmo a calhar, para ajudar a desatar este nó na garganta!...

Não perca!... já em exibição numa rádio perto de si!


terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Desapontamento...

Tinha prometido à minha amiga "Sininho" incluir muito em breve esta musica num Post, assinalando qualquer coisa de muito especial.

Mas, afinal, do "lado de cá" não há cenas no próximo episódio. Afinal, para já, nem vai haver um próximo episódio!

E como sei que me posso vir a arrepender, se hoje aqui escrever tudo o que estou a sentir, limito-me a deixar esta música com um beijinho especial para a Sininho.



E acrescento que adoro esta música!... Mesmo sabendo que se trata de um daqueles sucessos de momento, que dentro de uns meses já não nos lembramos...

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Cenas dos próximos episódios

Nas novelas há sempre um homem e uma mulher de mundos diferentes, que se cruzam.

Ele é o homem bem sucedido, empresário rico e culto. De boas famílias. Viajado. Conhecedor de todas as maravilhas do mundo, e arredores. Sempre impecável, no seu fato de alfaiate feito à medida. Empreendedor, de objectivos claros. É inteligente, simpático e atencioso. Lindo e interessante, é o sonho de qualquer mulher - um cavalheiro! Faz compras em Paris, frequenta os melhores locais, e conhece gente importante e influente. E ainda assim, sente-se tão só!

Ela tem a beleza da simplicidade. Aprecia cada minuto do que a vida lhe dá. Não é a “gata borralheira”, mas tem de fazer contas à vida!... Não faz compras em Paris, mas toma café no sítio do costume e conhece os vizinhos na rua. Canta no carro e chora no cinema. Gostava de fazer tudo "mais": saber mais, conhecer mais, viajar mais. Persegue e atinge cada um dos seus objectivos. Admira a inteligência. Orgulha-se de si mesma. É uma mulher forte e independente! Já amou, já lutou, já sofreu - muito! Vive rodeada de gente. E ainda assim, sente-se tão só!

A vida fê-los cruzar-se. Agora, lentamente, vão-se descobrindo e vão-se conhecendo…

E depois?… depois, são as “cenas dos próximos episódios”!

Mas, nas novelas, todos sabemos que há sempre um final feliz…
e do lado de cá???

(deve ser por isso que não gosto de novelas…)

***********************************

E agora, neste intervalo, em vez de publicidade, deixo-vos com uma das versões “Seal” de um clássico: A Man’s World.

Esta é saídinha do último – e simplesmente fantástico – álbum do Seal, Soul. Um álbum de covers, que são quase tão bons como os originais!!!

l

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Natalices (ou curiosidades do Natal!)

Continuando no espírito Natalício que vem assolando as alminhas consumistas deste "Portugal em Crise", acabo de declarar Greve aos Shopping Centers!!!

Parece impossível!... Eu já detesto Shoppings na sua "época baixa". Mas nesta quadra, servem apenas para se apanhar uma enorme camada de nervos! E o que mais me irrita é que ultimamente apanho transito ao sair do escritório, e não é no acesso à Auto-estrada.... É no acesso ao Oeiras Parque!!!

Mas, como nem só de compras se faz o Natal (e ainda bem!), quero hoje partilhar com vocês uma fantástica versão de um Clássico de Natal, na voz de um ícone da minha adolescência... Billy Idol. Já tinha saudades do inconfundível tique no lábio, do louro oxigenado, e do "olhar à matador"!...

Está fantástico este Jingle Bell Rock!!! Não podia deixar de partilhar convosco!


terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Egoísmos à parte...

Quando a tristeza me cala as palavras, com uma tal força, que não consigo “estar lá” para dar o que mais é preciso...

Quando o meu egoísmo reclama o que não me pertence…

…talvez o silêncio seja o melhor conselho que tenho para dar.





"Dois lados do mesmo adeus", Donna Maria

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Querido Pai Natal...

Assim começam todas Cartas ao Pai Natal. E eu, mesmo depois de saber que não havia Pai Natal - ainda me lembro do choque - continuava a escrevê-las e a deixá-las na mesa de cabeceira do Pai Natal lá de casa. E depois... cresci!

E as cartas? Pois é, foram substituídas por enormes “catálogos” do Toys”R”Us.

Tudo é mais fácil. Abre-se o catálogo e marca-se com “X” – sim, que aquilo até vem com quadradinhos para se assinalarem os presentes pretendidos!

E os miúdos de hoje escusam de escrever enquanto imaginam um presente fantástico, com que sonharam o ano inteiro.

E não. Não precisam de se dar ao trabalho de fazer um desenho a acompanhar um texto, especialmente dirigido ao velho senhor de barbas brancas, a tentar convencê-lo que, afinal, e apesar de todas as malandrices, são verdadeiramente merecedores do tal Robot de Lata, dos Soldadinhos de Chumbo ou da Boneca “Tuxa” (destronada pela Barbie, mas que reinava em Portugal há 30 anos atrás).

Hoje já não se vai às compras de Natal nas lojas da baixa, entre o frio e o cheiro a castanhas assadas. Hoje, já ninguém pára a meio da tarde de compras, para tomar um chá na Confeitaria Nacional.

Hoje já ninguém oferece meias, ceroulas, camisolas interiores. Acabaram-se os lenços bordados com as iniciais do Avô e as camisolas tricotadas pela mãe (como tantas e tantas que a minha mãe nos fez).


Pior que isso. Hoje, já ninguém os recebe com um sorriso nos lábios e com a alegria de quem acabou de receber a maior prova de amor.

ESTÁ A MORRER, A MAGIA DO NATAL!

******************************

De facto, há muito que não escrevo as tais cartas, mas hoje deixo uma música em jeito de pedido ao Pai Natal!

I don't want a lot for Christmas
There's just one thing I need
I don't care about the presents
Underneath the Christmas tree
I just want you for my own
More than you could ever know
Make my wish come true
All I want for Christmas is... You!



All I Want for Christmas is You! Por uma das minhas bandas preferidas do rock actual - os My Chemical Romance.

domingo, 30 de novembro de 2008

Já cheira a Natal!...

Há quase há 30 anos, havia por estes dias um ritual que me marcou de tal forma, que quase consigo revivê-lo se fechar os olhos.

Pelos últimos dias de Novembro, saíamos de casa devidamente equipados, e íamos apanhar musgo para fazer o Presépio. Daquele musgo grosso, que crescia junto à ribeira, aos muros ou nas bases das árvores.

Enchíamos um balde com as maiores e mais "farfalhudas" placas de musgo que encontrássemos.

Naquele tempo, não havia IC19. Não havia Continente, Conforama, e muito menos Ikea... nem sequer havia a Quinta Grande, em Alfragide! Havia apenas uma riberia que corria cheia por esta altura, e uma quinta (onde é hoje a Quinta Grande) a que chamávamos Quinta da Bruxa, e para onde gostávamos de ir viver aventuras de monstros e assombrações.

Naquele tempo, sair com o meu pai e os meus irmãos para apanhar musgo para o presépio era quase tão importante como o Natal. Divertíamo-nos à grande!!!

Naquele tempo, havia lá em casa uma mesa de centro baixinha, em madeira com os pés trabalhados, que era perfeita para colcarmos então o presépio.

E o Presépio era inteiramente criação da minha mãe. E feito com o contributo de todos, religiosamente, no dia 1 de Dezembro - dia em que decorávamos a casa, enfeitávamos o pinheiro que o meu pai trazia da praça e começávamos a viver o Natal.

O Presépio era muito mais importante que o Pinheiro. Tinha figuras de gesso pintadas à mão. O menino despido numa cama de palhinhas. Tinha o burro, a vaca, os reis magos, os camelos, ovelhas, pastores, cães e todas as figuras que conseguissemos imaginar.

Fazíamos uma gruta com jornais, forrada a musgo e tudo ganhava vida!... Ficava lindo.

E o cheiro do pinheiro e do musgo dominavam até ao dia de Reis. Ainda consigo sentir esse cheiro que me faz reviver esses momentos da minha infância.

Desse tempo, ficou apenas a tradição de decorar a casa religiosamente no dia 1. E ficou este gosto pelo Natal, pelos cheiros do Natal, pela família.

Foi também esse tempo que fez de mim o que sou hoje!

***********************************

E por fim, deixo-vos com a verdadeira "Piroseira Natalícia"!!! É a canção que melhor me faz relembrar os Natais da adolescência... tantas recordações!

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Imagens, Palavras e Repetições

Foi sendo construída "aqui dentro" uma imagem.

É feita de palavras, como se fossem momentos. É feita de perguntas, da curiosidade, da imaginação. É o "Desconhecido"...

Existem os porquês, existe a expectativa, existe a insegurança. E existe também a incontrolável vontade de dar um passo em frente e descobrir mais!

E pior do que o medo de que nada aconteça, é a intensidade com que tudo pode acontecer!...

... Porque sinto que é real essa imagem que construí!

E a música é também(*) uma repetição, mas só podia ser esta!



(*) este texto veio daqui mesmo. Hoje reescrevi-o, e pouco lhe acrescentei. O "desconhecido" é o mesmo.... e a imagem é cada vez mais real!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Engaiolada...


Estou a enlouquecer!!! Há três dias que não ponho o nariz na rua...

Esta tosse, esta rouquidão e este mal estar, têm-me mantido prisioneira deste pequeno T2 com vista panorâmica para a Damaia City (....lindo!!!!).

Neste momento, apetece-me falar com toda a gente que encontrar pela frente! E ir ao quiosque comprar o jornal. E ir ao café ali do lado - até acho que hoje nem me importava que o senhor do café me fizesse aquelas perguntas estúpidas, em que acho sempre que se está a meter na minha vida.

Apetece-me falar "até que a voz me dôa!" (...mais???? devo estar mesmo louca.... já doeu que chegue nos últimos dias!).
Mas amanhã.... me aguardem!!!! Aquele escritório volta ao "reboliço" normal!!! I'm back!!!


domingo, 23 de novembro de 2008

Expressões e Ditados...

Enquanto a vida e a saúde lhe permitiram, a minha mãe foi uma pessoa "muito à frente". Culta, "open mind" e com um excelente sentido de humor...

Há pouco, lembrei-me de a ouvir dizer: QUEM DORME COM MIÚDOS, ACORDA "MIJADO"!!!

A expressão, talvez um tanto brejeira, encerra grande sabedoria e revela esse humor que lhe era tão próprio!... Não concordo sempre, mas às vezes apetece-me repeti-la vezes sem conta!!!

Obrigada Mammy, por ainda hoje, mesmo sem estares comigo, me continuares a dar tanto!

E agora, "nem tudo o que brilha, é ouro!", diz o Prince... (adoro esta música!!!)



Gold - Prince

sábado, 22 de novembro de 2008

A voz, o silêncio, os filmes...

Silêncio, que (não) se vai cantar o Fado!

Estou sem voz! Com tosse... com arame farpado na garganta. Nada que um fim-de-semana "de molho" - sofá, mantinha, xaropes e pastilhas - não cure.

Ontem, ainda consegui ir ao cinema. Fui ver uma novidade - "O Corpo da Mentira". E, quanto a isso, tenho apenas duas palavras: MUITO BOM! Não se trata de mais um filme sobre a guerra do Iraque, ou de um banal filme de acção. Trata-se de um Thriller. Terrorismo, política, conspiração, valores morais. E, acima de tudo, vale a pena pelas brilhantes interpretações de Leonardo DiCaprio (não, não é como chamariz das miúdas), Russel Crowe e Mark Strong (que é pena não aparecer mais vezes!!!).

Esta tarde, a TVI exibiu uma comédia romântica: "PRIME - Terapia do Amor". Interessante... E é por isso que aqui fica um pouquinho da banda sonora deste "filme mesmo a calhar", com beijinhos especiais para a Sofia, a Mustus, a Vanda... e já agora também para mim!...if you know what I mean!!! :)


quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Tenho sono!...

Fiquei eu acordada até tão tarde, para ver os "nossos meninos"... e foi o que se viu!

Seis!.... que à (meia) dúzia é mais barato!!!

Ahhhh.... é verdade: retiro tudo o que disse até hoje sobre eu gostar de brasileiros!!! Reconsidero essas afirmações!!! Hoje nem os posso ver!

Foi só um desabafo... até mais "loguinho", para a música do dia!

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Veia de esquerda (...ou "a pergunta estúpida")

Já ouviram falar na feira "Portugal Tecnológico", que está a decorrer na FIL até ao próximo fim-de-semana? Certamente que já... foi um alarido em todos os noticiários de ontem.

Pois é. E desde ante-ontem que ando cá a pensar com os meus botões: porque raio andaremos nós a pagar uma verdadeira "Feira de Vaidades".

Por força da necessidade (profissional, é claro!) tenho estado por lá nestes dias. É que a minha empresa tem lá um stand... se é que se lhe pode chamar isso, por comparação aos restantes.

Ora sendo eu "organizadora de eventos" de profissão, e inteligente por natureza (modéstia à parte), sei muito bem quanto custa estar presente numa feira destas.

E não me refiro só ao valor do espaço, que neste caso tendo em consideração o envolvimento do Governo e do Plano Tecnológico Nacional, deve ter sido uma "borla" para todos os organismos publicos presentes.

Refiro-me a todos os custos implicados em estar presente condignamente - estes sim, verdadeiramente elevados na maioria dos casos!... É que sei bem quanto custa montar um Stand!!! Aliás, já nem sei quantas vezes já quase desmaiei na fase de orçamentação!

Daí a minha indignação. É que, asseguro-vos desde já, que stands megalómanos como os do Projecto e-escola, do Ministério da Educação, do Simplex, do Iapmei, da Protecção Cívil, do Turismo de Portugal (e por aí fora, que assim de cabeça nem me consigo lembrar de todos!) estão sem sombra de dúvida em muitos e muitos (mesmo, mesmo muitos) milhares de Euros!!!

... E a crise? essa malvada? onde andará???


domingo, 16 de novembro de 2008

A Fada dos Dentes

Cá por casa reina a alegria! Esta é uma data importante.

Apesar da minha Piolha ter quase sete anos, ter a mania que é crescida e, a meu ver, estar a ficar na "idade parva" antes da "idade parva"... hoje foi o grande dia. Caiu-lhe o primeiro dente!

Uma emoção. Desde ontem que não queria comer, com medo de o engolir e depois não poder dá-lo à Fada dos Dentes.

E hoje, finalmente, caiu.

Entre choros e gargalhadas, lá foi ela a correr buscar um pedacinho de algodão para por o dente, e colocar debaixo da almofada.

Mas, a magia destas histórias, já não é o que era. E ela está mesmo na "idade parva"! Por isso, depois de alguns momentos de reflexão, disse-me:

"Mãe, a Fada dos Dentes és tu, não és? Só há fadas nos filmes e nas histórias!.... Então, não precisas de me comprar nada. Dás-me só muitos miminhos."

Foi tãaaaaoooo fofinha!... mas depois lá reconsiderou a decisão, e pediu uma Polly (mais uma dequelas benequinhas que trazem o carro, o cão, a roupa, e tudo o que podemos imaginar).

Está a crescer.... tão depressa :(


****************************************

Ah, e música? Como não há músicas da Fada dos Dentes, aqui fica mais uma do Camané - o mais recente CD no meu carro. A música é linda, a letra é linda... enfim... Ciúmes da Saudade.

sábado, 15 de novembro de 2008

Desistir (With Arms Wide Open!)

Desistir não significa perder. É apenas abandonar uma causa em que deixamos de acreditar.

É chegar a um cruzamento, e escolher um caminho em detrimento de outro, pelo qual teimávamos seguir momentos antes.

É que, muitas vezes, damos por nós a desperdiçar um mar de oportunidades, apenas porque errámos a nossa focalização. Focámo-nos no caminho errado e tentamos percorrê-lo a todo o custo, mesmo quando está diante dos nossos olhos que não nos levará a destino nenhum.

Mas, quando somos inteligentes, chegamos a um patamar em que paramos para pensar, analisamos o percurso, e desistimos.

Reconfiguramos o “GPS” para outra rota – um novo caminho que pode ser tão ou mais agradável que o inicial. Com melhores paisagens, diferentes vantagens, maior emoção.

E que estava ali. Pronto a ser descoberto. Basta explorá-lo!

Desistir é uma escolha. Até porque não é um fim, mas sim um começo… e nunca sabemos se a vida não voltará a colocar-nos na mesma estrada, um dia.

Porque VIDA é mesmo assim! Desistimos, insistimos, escolhemos... mas devemos sempre receber o que ela nos dá, de braços abertos

With arms wide open
Under the sunlight
Welcome to this place
I'll show you everything
With arms wide open
Now everything has changed
I'll show you love
I'll show you everything
With arms wide open



(adoro esta música, e toda a sua força!… É rock com quase 10 anos…)

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Mesmo a propósito...

... esta música!

É mais uma que faz parte do CD "Cintura", dos Clã, que ultimamente “viaja” sempre comigo no carro.

Pequena Morte - Clã



Morrer de amor, morrer devagar
E ressuscitar!
Morrer um pouco, nascer outra vez
Reviver talvez!
Fala comigo, desconhecido.
Tão diferente e tão parecido!
Filme de amor com beijo no fim?...
Em technicolor!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

A beautiful lie

Hoje não vou fazer grandes comentários nem textos elaborados.

É que, por vezes, o silêncio é de ouro... e as "entrelinhas" (na falta de uma troca de olhar) dizem tudo...

Vou deixar apenas uma música de que gosto, e que diz o que me vai na alma!


It's a beautiful lie... Such a beautiful lie to believe in!
So beautiful, beautiful lie makes me............................


terça-feira, 4 de novembro de 2008

Não negue, à partida, uma ciência que desconhece!...

... dizia, aqui há tempos, um famoso anúncio de uma pseudo-vidente (se a memória não me falha).

De certa forma, esta simples frase, até tem a sua razão. Porque somos como as crianças, que dizem que não gostam de uma coisa sem nunca a terem comido.
Nós somos assim também - "eu? jamais faria isto ou aquilo... não gosto disto ou daquilo".

Mas, por vezes, a vida faz-nos grandes supresas! E deparamo-nos com a essência do nosso próprio "eu". Fazemos o que afirmávamos jamais fazer... e gostamos!

É mais uma grande lição que aprendi: temos a capacidade de nos supreender com o impensável... E podemos saboreá-lo sem questionar, sem planear. Só porque sim! Só porque a corrente nos leva! Só porque a vida acontece!

E agora..... um clássico!


Kiss - Prince

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Isto não são conselhos...

Quem sou eu para dar conselhos???.... sempre ouvi dizer "Faz o que diz Frei Tomás, mas não faças o que ele faz!"

E por isso é que resolvo deixar hoje aqui algumas palavras para reflectirmos. São dedicadas a duas grandes amigas - complicadas, como qualquer mulher que se preze!

Essas palavras podiam resumir-se a uma frase: quando temos vontade de fazer uma coisa, devemos fazê-la! No matter what!

Mas o facto é que nós, mulheres, temos o dom de complicar.

Pensamos: "Apetece-me tanto mandar-lhe uma mensagem".... "Oh, mas não vou mandar!"... "...ele pode pensar, que eu penso, que ele pensa....."

E pronto. Só porque somos complicadas, deixamos de fazer uma coisa que nos apetece e que nos faria sentir bem. Que talvez até contribuisse para nos sentirmos mais felizes.

E mais: não só não fazemos o que temos vontade, como ainda elaboramos uma história digna de um argumento de filme. Partimos do detalhe "ele disse que" e construímos uma verdadeira novela - "se ele disse que... é porque pensa que... e devia fazer assim ou assado".

Mas é inevitável. Somos assim. Complicadas. Mas também somos românticas, sonhadoras, intensas, impulsivas, apaixonadas.... É por isso que somos mulheres.

No que me diz respeito, resolvi há uns tempos seguir este meu próprio conselho. Faço o que tenho vontade de fazer, sem pensar muito nisso. E disfruto ao máximo do resultado - ou não, que isto de se fazer o que nos dá na "real gana" também não é sucesso garantido!

E agora, deixo-vos com Lenine e com dois beijinhos especiais à "Mustus" e à "D. Rosa"...

sábado, 1 de novembro de 2008

Halloween???...

Mas afinal somos ou não somos Portugueses?... Orgulhosamente Tugas???

Se somos, porque raio celebramos de há uns anos para cá o Halloween???

Na minha opinião, porque enquanto Tugas, temos sempre imensas crises de identidade cultural!

E, por causa desta parvoíce, ontem a minha filha queria ir mascarada para a escola (e eu estupidificada!)... Ora, máscaras é no Carnaval... e no meu calendário ainda faltam uns meses!

Quando eu era miuda, celebrava-se o
Dia de Todos os Santos saindo à rua e pedindo o "Pão por Deus".... enchiamos os sacos de gomas e doces, e apanhávamos uma valente dor de barriga! E começávamos bem cedinho a batar às portas, para irritarmos os que, por ser feriado, resolviam dormir mais um bocado!

Mas Halloween?? Dia das Bruxas??? Essa é realmente uma tradição, mas é nos States, no Canadá e em UK!...

E nós por cá, é claro, resolvemos copiá-los!... Qualquer dia, estamos a celebrar o 4 Julho!!!

***********************

Mudando de assunto, e falando de música (e de mim), fica aqui o hino de uma vida - não é da minha, embora ache a música liiiiiiinda!


É apenas para dizer que não há duas (oportunidades) sem três!... e há mais marés que marinheiros ;)

Don't Give Up ...........I won't ;)


quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Indecisões

Decididamente, sei muito bem o que quero!...

O problema, é não ter a certeza de que estou certa. É díficil, por vezes, o balanço entre o que se quer e o que deveria querer - o que está certo.

Decididamente, estou indecisa. E só porque quero....

***************************

Hoje vamos numa de fadinho... música "Tuga" ;)
Não deixem de ouvir este. É liiiiiiiindo!

Se ao menos houvesse um dia.wma - Camané

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Então? Ninguém vota?

Estou à espera...

24 visitantes desde que publiquei o "desafio" e ninguém quer deixar o seu contributo? Que falta de sentido de humor....

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

O melhor e o Pior... mais um desafio!

Hoje, em mais uma daquelas "conversas de miúdas", discutíamos o que mais nos cativa nos homens. E divagávamos sobre o que (achamos nós) mais os fascina a eles - esta parte foi realmente díficil... apostámos no "bumbum, nas "poitrines" e nessas coisas nada óbvias.

Foi então que, incentivada por essa conversa e inspirada em alguns blogues que por vezes visito, resolvi hoje deixar-vos mais um desafio:


DESAFIO "O melhor e o pior"

Vamos eleger as duas coisas (apenas duas) que nos deixam completamente fora de nós, e em ambos os sentidos... e isto aplica-se a leitores e leitoras!

Basta que deixem o vosso testemunho (i.e. comentário) sobre
a tal característica que é como o Código Postal - meio caminho andado - e a outra que funciona como um balde de água fria - arruína qualquer conquista!

E, mesmo que se sintam um pouco "tímidos", deixem por favor um comentário "anónimo". Só com as vossas opiniões podemos fazer uma lista engraçada!!


As minhas opiniões já vocês conhecem:

  • Aquilo a que não resisto: Mãos. Umas mãos bonitas deixam-me completamente fora de mim. fazem-me viajar (já o disse aqui tantas vezes!)
  • Aquilo que não suporto: erros de português. Homens que não sabem falar e escrever tiram-me do sério. É um verdadeiro bilhete de ida sem volta!

Agora, fico à espera das vossas...

Ah, e música? Aqui fica uma recente de que gosto bastante: Colbie Caillat - Something Special.


sábado, 25 de outubro de 2008

Lord, I miss you!

Rolling Stones. A escolha não é, de todo, aleatória...
É, sem dúvida, uma grande música. E, embora nem eu saiba explicar porquê, é (mais) uma grande verdade!

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Outra grande verdade...

"Odeio quem me rouba a solidão sem, em troca, me oferecer verdadeira companhia." (Nietzsche)

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Pior que uma decisão errada.... é decisão nenhuma!

Grande verdade esta!

Surgiu no meio de uma conversa esta tarde, com um amigo, em tom de conselho. Ficou às voltas na minha cabeça. Ele tem razão. Como tem!

Ás vezes, hesitamos em tomar decisões, assolados por um mar de incertezas. Somos, quase sempre, resistentes à mudança, à novidade, à diferença. Não nos deixamos levar pelos nossos ímpetos simplesmente porque temos medo.

Levantamos barreiras à nossa volta e adiamos a nossa felicidade, na esperança de que todos os nossos medos desapareçam. Nunca nos atiramos de cabeça, com medo da queda!

Na maioria das vezes, saímos a perder.

Porque, afinal, "pior que uma decisão errada... é decisão nenhuma!"

********************

Quanto a música, e como estou apaixonada pelo CD de Tributo a Carlos Paião, que acabei de comprar, aqui fica mais uma que não mencionei ontem: Cegonha.

Não deixem de ouvir. Também já não me lembrava desta música, e está fantástica num registo de fado!

Cegonha - Filipa Cardoso & Fábia Rebordão

sábado, 18 de outubro de 2008

O Tributo a Carlos Paião

Comecei pelo princípio. E fui seguindo, lentamente, demorando-me em cada canção deste album. Fui descobrindo novas emoções, em músicas tão antigas.

Primeiro, "Cinderela" - uma cancão que, nem sei explicar porquê, até há bem pouco tempo me emocionava, sempre que a ouvia. Desta vez na voz de Rui Veloso. Fantástica!

Depois, Tiago Bettencourt. E o inesquecível "Pó de Arroz" ganha contornos completamente novos.

Mais uma surpresa: "Vinho do Porto", por Donna Maria. Arrepiante, diferente... uma mistura de estilos. Um arranjo brilhante!

Mas, surpreendeu-me verdadeiramente, esta canção! Os Per7ume, entregam a magia da sua interpretação a "Versos de Amor".

É uma canção simplesmente liiiiinda!... E há tanto, tanto tempo que não a ouvia. E delicia-me esta nova versão... Não me canso de a ouvir, de repetir vezes sem conta.... e de me deixar levar pelas emoções e pelos sonhos destes Versos de Amor.

Versos de Amor - Per7ume

terça-feira, 14 de outubro de 2008

É apenas uma canção

... Mas é Clã.... e diz tudo!!!



Ontem à noite pus-me a reflectir
Nas coisas da vida, em vez de dormir
Tive um quebranto, fiquei surdo e mudo
Tolhido de espanto, mas percebi tudo

O mundo era meu, sentia-me um rei
O tempo era extenso e eu ditava a lei.
Bastou dar um passo e crescer em frente,
Perdi toda a graça quase de repente.

Não fosse um sentido de humor apurado,
Que me faz viver um sonho acordado
Não via tão claro o sentido da vida,
E tudo seria bem mais complicado!

Eu era feliz, tinha os meus brinquedos
O anjo da guarda tirava-me os medos.
Descobri o amor, vi nele o paraíso...
Mas para ser expulso às vezes pouco é preciso

Podia ter tudo, do bom e do caro
Que nada acodia ao meu desamparo!
Sou a alma do mundo mais bem informada,
Quanto mais me informo, mais sei que sei nada!

Não fosse um sentido de humor apurado,
Que me faz viver a sonhar acordado
Não via tão claro o significado,
E tudo seria bem mais complicado !

domingo, 12 de outubro de 2008

Há coisas que nunca mudam....


... Como as noites do PLATEAU! Sempre magnificamente iguais!!!

Aqui fica a música que, lá pelas cinco da manhã, levava a malta ao rubro: Summer of '69

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Life sucks

Eu sou uma pessoa feliz, realizada... Basicamente, tenho (quase) tudo o que desejei: um emprego que adoro, colegas fantásticos, uma família maravilhosa, uma filha que é o máximo. O dinheirinho, mal ou bem, vai-me permitindo uma vida confortável. E amigos, tenho poucos... mas são tão bons!

Mas, às vezes, dou por mim a sentir-me terrivelmente sozinha. Olho à minha volta. Toda a gente tem uma vida, menos eu.

Todos têm as suas próprias famílias, as suas casas, os seus maridos/mulheres/namorados, os seus filhos... E eu sei que tenho um espaço de destaque nas suas vidas. Sei o que represento, e fico muito feliz por isso...

...Mas, e que vida tenho eu?

Todos os dias, saio do escritório com a imensa alegria de ir para casa ter com a minha Piolha, e viver com ela os momentos mais fantásticos que se podem viver neste mundo.

Mas depois são nove horas. A piolha vai para a cama dormir... e fico eu! Eu e o computador... e as tais "relações 2.0", que não preenchem o meu vazio.

E pior... amanhã é sexta feira e ela fica na escola... dou-lhe um beijo de bom fim-de-semana. Aí, mergulho outra vez nessa tal "solidão acompanhada"...

Life sucks!

Pois é... o que me vale é que tenho destas coisas poucas vezes!!!

E agora, uma música para "levantar o astral"...

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Sunshine Raggae

Hoje não acordei nos meus dias.... e não fui a única! ;-)

É que não consigo deixar o Verão ir-se embora!

Adoro o Sol!
Faz-me falta acordar, abrir a janela e deixá-lo invadir a minha casa. Adoro ver o sol reflectido na água, na foz do nosso rio. Pela manhã, percorrer a marginal, e ver o azul do céu confurdir-se com o do mar... Baixar o vidro do carro, e sentir um dia a começar, cheio de vida e alegria!

Sinto sempre a falta de cada raio de sol que me entra pela janela do escritório, enquanto trabalho.

E hoje acordei com um céu cinzento e carregado. E fiquei como ele. Cinzenta.

Ainda bem que o sol voltou!.... Esta tarde reparei (reparámos) que basta um raio de sol para nos sentirmos muito melhor!...

E que, além do sol, há muitas outras coisas que me fazem sentir bem!!!


Give me, give me,
Give me just a little smile
That's all I ask from you




domingo, 5 de outubro de 2008

Piolhita

Porque será que não pára nada no estômago da piolhita?

Hoje, acordou assim. Mal disposta, "molinha". E assim tem estado o dia todo... E não há cházinho ou torraditas que se fiquem por lá.

Eu fico com o coração pequenino, quando a vejo assim. Mas estou cá, para lhe segurar na mão... que não posso fazer muito mais.

Não sei porque está assim. São coisas de miúdos... é dar miminhos e esperar que passe!

Amanhã é outro dia. De certeza estará como nova!

************

Hoje, escialmente para a piolhita, aqui ficam pedacinhos do último filme que fomos ver ao cinema - Wall-E. Uma história de amor, tão doce!... E a fantástica música de Louis Armstrong - LA VIE EN ROSE.

sábado, 4 de outubro de 2008

Grande Malha...

Foo Fighters... é sempre bom de se ouvir. Eu, pelo menos, nunca me canso!

Gosto de quase todas, mas hoje escolhi The Best of You...

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

O "Desconhecido"

Foi sendo construída "aqui dentro" uma imagem.

É feita de palavras, momentos. Da procura, da curiosidade, da imaginação... É o "Desconhecido"...

Existem os porquês, existe a expectativa... existe até medo e insegurança.


Existe a incontrolável vontade de dar um passo em frente e descobrir mais!... Porque sinto que é real essa imagem que construí!

Vou saber?... Talvez... FINALLY.

Finally - Fergie


P.S.:
- Beijos especiais à Mary, que me apresentou esta música. É Linda!
- Beijos também especiais........ "desconhecido"! ;-)


terça-feira, 30 de setembro de 2008

Chama por mim...

Não sei porquê, mas sempre associei os EZ-Special a uma daquelas bandas que os miúdos que gostam dos Morangos com Açúcar costumam ouvir. Por isso nunca lhes prestei muita atenção.

Mas, afinal, chego à conclusão de que até gosto!... Especialmente desta música...

Do dia p’ra noite
E em qualquer lugar
Chama por mim
Chama por mim
Chama, chama que eu sei que te vou encontrar
Chama por mim
Chama por mim
Chama, chama que eu vou
Chama que eu vou

Deve ser a minha veia romântica a funcionar....

Chama Por Mim - EZ Special

domingo, 28 de setembro de 2008

Mamma Mia!!!

O filme? Sim. MAMMA MIA!...

Esta é a prova de que não são precisas "obras primas" para nos sentirmos felizes.

Mamma Mia proporcionou-me hoje um excelente final de tarde. Lembranças da minha vida, da minha adolescência, principalmente da minha mãe. Uma história simples. Quase infantil. Uma comédia ligeira que me fez rir! Paisagens magníficas... mar, céu e muita cor!

O prazer da música intemporal - classifiquem-na como quiserem. Para mim são fantásticas recordações. Encheu-me de alegria!!!

Por isso, aqui fica "OBRIGADA PELA MÚSICA"!



P.S.: E já agora, ao meu amigo João, obrigada também pela companhia.

Ah..... E, minhas amigas... o Pierce Brosnan não canta nada!... mas é como o vinho do Porto. Até "dá gosto ouvi-lo"!!

Ontem foi "Dia de Reyes"!

SOMOS BENFICA!
SOMOS PAIXÃO!
SOMOS A GLÓRIA,
A VOZ MAIS ALTA D'UMA NAÇÃO!

P.S.: ... mas para mim, que pouco entendo do assunto, o melhor do jogo são sempre as ameijoas, as gambas fritas, as navalheiras, as moelas e as cervejolas!... ;)

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Rentrée... "'Bora ao Gin?"


Já tinha saudades destes finais de tarde de 6ª feira. Já tinha saudades da nossa Happy Hour!...
O pessoal vai chegando, vamo-nos sentando - é um Gin... uma Imperial... um Martini Bianco... são amendoins e batatas fritas...

Começamos por ser quatro ou cinco. Alguns minutos depois somos dez, doze, às vezes mais.

Regra fundamental: Proíbido falar de trabalho!

Há sempre motivos para um brinde: porque alguém faz "anos de casa", porque é o aniversário de alguém, porque alguém fechou um negócio importante... ou só porque sim!

Já tinha muitas saudades das muitas e muitas gargalhadas que damos. Soube bem esta Rentrée!...

... E com "keipse de Ruis" (ou Keimpse, ou lá como se escreve o nome do raio do jogo!!)


*************************


Quanto a música, e mais uma vez sem ter nada a ver com isto, fica o que se anda a ouvir por aqui ultimamente: Leonard Cohen.


quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Relações 2.0

Nos dias que correm, onde tudo é "two dot zero", onde tudo é "collaboration", tenho-me questionado sobre relações humanas.

Estarão as nossas convicções a mudar? Será que trocámos o cara-a-cara, a transparência de um sorriso e o magnetismo de um olhar, por icones expressivos do MSN? Será que um conjunto de sinais ortográficos ou caracteres - :) - consegue mesmo expressar o que nos vai na alma?

Continuo a achar que não... Mas, é um bom começo, não há dúvida!

Há uns anos, não tínhamos internet, mas existiam as colectividades e os cafés de bairro. As pessoas encontravam-se, conheciam outras pessoas, e alargavam os seus horizontes (eu, felizmente, também mantenho esse lado!)

Hoje temos a internet! Hoje temos as Redes Sociais! E, em segundos, as pessoas conhecem outras pessoas, que também conhecem outras pessoas. Também se fazem amigos - ok, não são os 250 contactos que temos no Hi5, mas eventualmente dois ou três tornar-se-ão nossos amigos - e até é mais fácil quebrar o gelo.

Mas falta o toque dos rostos quando nos cumprimentamos. Falta aquela alegria e conforto que está por detrás do sorriso. Falta a rouquidão na voz quando nos emocionamos...

E é por isso que não acredito em "Relações 2.0"!!! Podemos começar por aí... pela "empatia virtual"... podemos alimentá-la e deixá-la crescer.... mas, mais cedo ou mais tarde...


E agora, sem que tenha nada a ver com este assunto, deixo-vos Waterboys - The Whole of the Moon. Intemporal!... É só porque sim!



segunda-feira, 22 de setembro de 2008

My name is Bond... James Bond! (2)

Ora hoje, em especial, dedico este Post aos fãs do James Bond... sim, que sei que os há por aqui ;-)

Acabo de descobrir, num
Blogue que costumo visitar regularmente, que já existe banda sonora oficial para o próximo filme da Saga 007.

E, com a curiosidade de "Audiófila" que me é tão característica, só vos posso dizer que JÁ OUVI!

Trata-se de uma dupla, no mínimo, surpreendente: Alicia Keys - que, arriscando-me a ser "espancada" por todos os que me lêem, confesso que não gosto nada - e Jack White, vocalista dos fantásticos White Stripes.


O som, como não poderia deixar de ser, é muito ao género dos White Sripes! E eu gostei muito!

... De ínício estranhei. Acho que era por estar mais habituada a ouvir vozes como Shirley Bassey, Tina Turner ou mesmo Duran Duran a darem (ou não) côr aos filmes do "super-agente-mato-todos-e-saio-impecável".

Mas, é como dizia o poeta: Primeiro estranha-se, depois entranha-se!

Só espero que o filme seja tão bom como a música é!... Digam lá que não gostam?!

Another Way To Die - Jack White / Alicia Keys

domingo, 21 de setembro de 2008

My hometown

Depois de um fim-de-semana como este, não poderia escolher outra música.

Entre o Karaoke da festa de aniversário da Tertúlia (um café que frequento, onde se encontra a “malta da velha guarda” da Damaia), uma Noite de Fados onde, para além dos “profissionais”, não faltaram as vozes dos amigos cá do sítio, umas idas ao parque com a criançada e uma tarde de petiscos na esplanada do clube (mais conhecido aqui pelo "Ginásio"), a animação foi mais que muita!

Encontrei-me com amigos e encontrei conhecidos. Caras que já não via há tanto tempo!... E outras de que já nem me lembrava…

Por vezes, o prazer de rever algumas pessoas é indescritível. Outras vezes, passou uma vida por nós, e já nem nos conhecemos. Outras tantas, passou uma vida por nós e nem demos por isso.

Muitas vezes o tempo fez-lhes bem… mas, em alguns, deixou marcas tão profundas! Marcas de vidas que não seguiram o melhor caminho. Ou, simplesmente, marcas da vida que lhes aconteceu…

E há ainda os que (ainda) não conheço!!!…

É este o meu mundo! São estas as PESSOAS que o preenchem. É um mundo que tenho vindo a (re)descobrir!



My Hometown - Bruce Springsteen

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

As conclusões a que chego!....(2)

Diz a música de hoje, que "não se mostra o trajecto a quem parte para se perder"... que "não se dá boleia a quem precisa de ir a pé"…

E assim acontece com a amizade.

Não se pode dar amizade a quem não a quer receber. Não se pode olhar nos olhos de quem desvia o olhar. Não se deixa a porta aberta para quem não quer entrar!

... são apenas conclusões a que chego!




Na boca do Mundo - MESA

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Seis meses...

Seis meses se passaram desde que decidi começar a escrever este Diário - que nem sempre é diário, mas faço por isso!...

Nele apenas escrevo o que sinto. Sejam disparates, pensamentos, desejos, desabafos... ou nada.

Mas às vezes, sinto tanto!... e não escrevo nada. Só porque não sai. Porque não consigo. Às vezes, sinto-me transbordar de palavras, e elas ficam presas. Algures, entre o que me vai na alma e este amontoado de teclas à minha frente.

Seja como for, não queria deixar de agradecer as vossas visitas neste meu cantinho. OBRIGADA por me visitarem, por "me lerem", e por comentarem (não tanto como gostava, mas 'tá bem!)

Beijos, beijos, beijos!... a todos vocês!


P.S.: Mas hoje deixo também um beijo muito especial, a um amigo muito especial ;)

sábado, 13 de setembro de 2008

Com "bolinha" no canto superior direito

Não resisiti a este vídeo. E, por isso, não é uma música que vos deixo hoje. Deixo-vos, antes, a mais recente "obra-prima" do Humor Made in Portugal.

Aviso-vos desde já que foi classificado com bolinha no canto superior direito!... e vocês, que me conhecem, sabem que detesto palavrões!!! Mas neste caso...

Enfim, "parti-me a rir"! É de ir às lágrimas!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Uma triste história de vida (cantada)

O meu Post de hoje é capaz de ser uma das mais "inimagináveis" músicas que ouvi nos últimos tempos!

Foi sugestão de um amigo - g'anda maluco!!! - frequentador assiduo deste Blogue, e possuidor de um invulgar sentido de humor que muito aprecio. Descobre cada coisa!....

Aqui fica então uma triste história de vida. Uma mulher desesperada. E um marido, digamos... apanhado de surpresa!

E agora digam lá que a música portuguesa não tem qualidade!!! Ehehehe!



Só mesmo tu para me fazeres rir assim!...

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Porque eu acredito!...

Há amores assim...
Que nunca têm início,
Muito menos têm fim.
Na esquina de uma rua,
Ou num banco de jardim,
Quando menos esperamos...
Há amores assim!

Não demores tanto assim...
Enquanto espero o céu azul,
Cai a chuva sobre mim.
Não me importo com mais nada,
Se és o direito ou o avesso,
Se tu fores o meu final,
Eu serei o teu começo!

Não vou ganhar,
Nem perder,
Nem me lamentar.
Estou pronta a saltar
De cabeça contra o mar.

Je t’aime, je t’adore!
Um amor nunca se escolhe,
Mas sei que vais reparar em mim...
Yo te quiero tanto!
E converso com o meu santo,
Rezo, e até peço em latim.

Há amores assim...
Que nunca têm início,
Muito menos têm fim.
Na esquina de uma rua,
Ou num banco de jardim.
Quando menos esperamos,
Há amores assim!

Não vou medir,
Nem julgar.
Eu quero arriscar.
Tenho encontro marcado
Sem tempo nem lugar.




Num dos posts iniciais deste Blogue, incluí uma das minhas músicas Portuguesas preferida. "Quase Perfeito" foi a primeira música que conheci de Donna Maria. Para mim, uma música muito especial.

Agora incluo "Há amores assim". Porque eu acredito!...

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

As conclusões a que chego!....

Sou uma "tó-tó"! E isso foi-me demonstrado hoje, pela minha filha.

Passo a explicar: andava eu aqui toda preocupada, e tal… ansiosa, nervosa… Afinal, não havia qualquer razão para essas mariquices.

Resolvi deixá-la hoje, pela primeira vez, no ATL que vai frequentar neste ano lectivo. As aulas começam oficialmente na próxima semana, e eu, ao melhor estilo mãe-galinha-ultra-preocupada, receava a sua reacção a tanta mudança: escola nova e ATL novo. Em dois espaços totalmente desconhecidos, com outras crianças, educadoras novas, e tudo o mais. Decidi-me então por uma abordagem gradual. Aos poucos.

E assim sendo, hoje levei-a pela manhã à sua nova sala.

Dei-lhe os milhões de beijinhos do costume e todos aqueles conselhos que as mães dão (e que “entram a 100 e saem a 1000”, como costuma dizer-se):

- Porta-te bem!... Faz o que a Ângela diz… Venho buscar-te à hora do almoço e almoçamos as duas. Diverte-te muito!...

E virei as costas, com o coração do tamanho de uma azeitona…. das pretas, as mais pequeninas :-(

E não é que, quando voltei a entrar para a ir buscar, fui surpreendida por um “já????”… E ainda ficou toda chateada porque vinha almoçar comigo, e queria antes almoçar com as novas amiguinhas, que tinha acabado de conhecer!!!


- O mãe!.... eu estava a divertir-me tanto…

… É claro que fico muito contente por tudo ter corrido bem. Por ver que ela - não sei a quem sairá - é uma criança tão comunicativa, expressiva, e que se integra com a maior facilidade.

Mas não pude deixar de pensar: realmente, sou uma "tó-tó"! Ela cresceu, e eu continuo a achar que tenho um bebé!

*****************

Quanto a música, aqui fica uma fresquérrima, e de que gosto bastante... daquelas para abanar o pezinho: Ne-Yo, Closer.